Já ouviu falar de Puerto Lopez no Equador? Não? Então leia esse post e veja como é legal fazer turismo nesta cidade do litoral equatoriano!

A maioria dos turistas vai para o Equador com o objetivo de conhecer as Ilhas Galápagos. Claro, eu também queria fazer isso, mas Galápagos estava fora do meu orçamento e eu também queria passar por várias cidades do país. E entre um dos locais na região costeira do Equador eu queria muito, mas muito conhecer Los Frailes, uma praia que achei maravilhosa.

Daí pesquisando mais um pouco descobri que em Puerto López eu poderia contratar passeios para conhecer a Isla de la Plata, a “Galápagos dos pobres”.

O Equador tem uma costa muito bonita e várias cidades para visitar, porém, a cidade mais famosa entre os turistas e onde há maior chance de encontrar brasileiros é Montañita. O local ficou famoso por sua vida noturna agitada e por isso é conhecida como a Ibiza equatoriana.

Montañita fica muito próxima de Puerto López, então se você gosta de vida noturna mas quer fazer alguns passeios pelas ilhas próximas pode se hospedar na primeira e pegar um ônibus urbano para ir para a outra.

Como a vida noturna não era importante para mim me hospedei em Puerto López e não me arrependi. Esta cidade, que ainda não foi descoberta pelos brasileiros, tem muito a oferecer. Leia tudo ou acompanhe pelos links:

Como Chegar a Puerto López

Como Chegar a Puerto López

Eu iria para Puerto López desde Quito e fiquei todos os dias perguntando aos funcionários do hostel onde me hospedei qual seria a melhor forma de chegar. Existem algumas possibilidades para ir até a cidade, algumas mais simples e outras não.

Uma possibilidade é ir até o Terminal Carcelen e pegar um ônibus para Guaiaquil. Essa possibilidade não é comum entre os turistas porque todo mundo vai direto até o Terminal Quitumbe.

Entretanto, se você estiver próximo ao Carcelen é uma boa alternativa porque neste local chegam os ônibus que vem da região norte do país e vários deles se dirigem para o sul do país ou para a costa. De repente há até um ônibus direto para Puerto López ou outra cidade mais próxima que Guaiaquil, Manta é uma delas.

Quando eu pesquisei eu vi que todo mundo ia para o Terminal Quitumbe e pegava um ônibus para Guaiaquil e de lá pegava um ônibus para Puerto López. Eu, no entanto, resolvi verificar se havia algum ônibus direto para Puerto López e olha só, tinha. Então eu fui direto para a cidade. Muito mais fácil.

Eu ia pegar um ônibus a noite para Puerto López para chegar lá de manhãzinha. Desta forma, eu ia para o Terminal Quitumbe em torno de 18:00 horas, que no Equador, assim como no Brasil, é horário de pico.

Meus amigos que ainda ficariam em Quito mais alguns dias me convenceram a pegar um Uber que custou U$ 5,54. Vale muito a pena usar o transporte privado. Todos os ônibus passavam lotados em frente ao ponto onde eu estava. Seria difícil entrar em um deles com um mochilão.

O Terminal Quitumbe

Cheguei ao terminal Quitumbe e novamente me surpreendi com o tamanho dele, a modernidade e sua forma de organização.

As companhias ficam organizadas em pequenos guichês, numerados e divididos por região do país. Eu ia para a região da costa e rapidinho achei o guichê para comprar a minha passagem.

Uma coisa peculiar do Equador é que lá você não compra as passagens antes da viagem. Somente alguns minutos antes do ônibus partir. Mas não se preocupe, ninguém fica para trás. Há muitos ônibus partindo para o mesmo lugar ou muito horários. Pelo menos nas cidades maiores.

Eu, por exemplo, tinha visto que havia um horário às 19:30 horas e outro mais tarde para Puerto López. Porém, pela hora que cheguei e fui ao guichê eu não conseguia comprar a passagem para o horário mais a frente, somente para 19:30 horas. E assim, me dirigi ao ônibus.

A minha ida custou U$ 14,25 pela viação Reina Del Camino. O ônibus era bem confortável e, como em todos os outros do Equador, tinha TV e som. Pelo menos desta vez o motorista colocou um rock mais antigo para tocar.

Todo mundo, inclusive os funcionários do terminal Quitumbe, te orientam a não largar a sua bagagem, prestar bastante atenção nela e a não dar mole com dinheiro na mão porque há muitos roubos por ali, principalmente a noite, embora não pareça.

Comigo foi bem tranquilo, não vi nada de errado. No entanto, fiquei somente 30 minutos no terminal e não desgrudei da mochila.

O Terminal Quitumbe. Passagens vendidas por região!
O Terminal Quitumbe. Passagens vendidas por região!

Chegada em Puerto López

Cheguei na rodoviária da cidade em torno de 05:00 horas da manhã. Muito cedo! Chovia de forma torrencial.

Pensei em ficar lá e esperar o dia clarear até porque não havia nenhum táxi na porta.

Mas um rapaz com uma caminhonete de algum serviço público passou e as pessoas entraram nela para ir para casa. Pelo que entendi o cara anda pela cidade a noite e no horário do ônibus passa na rodoviária, coloca as pessoas no carro, na carroceria e as deixa próximas de casa por U$ 1,00.

O pessoal me chamou e fui junto. O cara nunca tinha ouvido falar do meu hostel e me cobrou U$ 1,50 para me deixar em frente a ele. Feito! Cheguei no hostel e ele se foi.

A essa hora Puerto López é uma cidade fantasma. Não há nada aberto, ninguém na rua, absolutamente nada funciona, nem mesmo hotéis e hostels. Eu não sabia disso nem havia algum aviso do hostel. Toquei a campainha diversas vezes e nada.

Pior ainda, chovia canivete naquele lugar.

Me restou sentar em um banco que havia na frente do hostel, embaixo de uma marquise e esperar o dia amanhecer. A esta altura eu nem conseguia dormir com medo de alguma coisa.

De fato, medo eu não precisava ter porque a cidade é mesmo muito tranquila.

As horas foram passando e a população começou a despertar. Os pescadores começaram a sair para ir para o mar. Depois as barracas e lojas começaram a abrir. E, enfim, o pessoal do hostel apareceu.

Até isso acontecer eu andei um pouco pela rua escura em Puerto López e pude perceber que nada, nada mesmo funcionava na cidade. Nos hotéis as recepções se fechavam e permaneciam trancadas. Isso quer dizer que se você resolver chegar no mesmo ônibus que eu ficará em apuros.

Onde ficar em Puerto Lopez

Como o Equador não é um destino turístico muito famoso entre os brasileiros foi difícil encontrar avaliações em português de um lugar para ficar em Puerto Lopez, principalmente por ser uma cidade pequena que ainda tem um número limitado de hospedagens.

Procurei no Booking.com e vi pouquíssimas opções e não gostei delas. Daí procurei no Hostelworld e vi algo melhor. Fiquei no hostel Los Islotes Beach Front. Sinceramente não sei se ele ainda existe ou se trocou de nome. Em uma pesquisa rápida nos sites de reserva não o encontrei mais.

Paguei U$ 26,19 por 3 diárias e acho que apesar de tudo valeu a pena. Em razão das possibilidades existentes na época foi uma boa escolha.

O hostel tinha um café da manhã estilo americano muito bom. Os quartos eram bons e o mais importante, ele se situava na beira mar, ou seja, na principal avenida da cidade.

Antes de reservar o local para ficar pesquise bastante. Chegaram 4 argentinos no hostel verificando se havia vaga porque o hostel onde estavam era muito ruim e havia ratos lá.

As hospedagens não são muito caras em Puerto López, por isso pesquise muito para não ter surpresas.

O meu hostel em Puerto López: esse prédio engraçado com todos os andares coloridos. O terraço enorme do prédio ao lado é onde tomávamos café da manhã.
O meu hostel em Puerto López: esse prédio engraçado com todos os andares coloridos. O terraço enorme do prédio ao lado é onde tomávamos café da manhã.

A cidade de Puerto López

A cidade de Puerto López é pequena e vem sendo descoberta pelo turismo a bem pouco tempo, sendo sua vizinha Montañita o local em que os turistas mais se hospedam. Hoje em dia vem recebendo principalmente argentinos, colombianos e alemães. Pois é, brasileiro não conhece esse paraíso mas os europeus sim.

Quando estive por lá me disseram que havia somente eu e mais um rapaz que era do Brasil, ademais, não havia mais ninguém. Eu acredito nisso porque realmente não ouvi uma palavra em português.

O turismo vem crescendo e Puerto López vem se adaptando a isso com serviços mais especializados. Sinceramente, achei a estrutura para receber os turistas muito boa. Somente acho que as hospedagens devem melhorar bastante.

Segundo os moradores, o antigo presidente do país fez muitas obras para revitalizar a cidade e impulsionar o turismo na região, e isso deu muito certo. Eles dizem que o presidente atual, Lenin Moreno, não é tão bom quanto o outro e vem ajudando pouco a região.

Realmente, com o presidente Rafael Corrêa a orla (A avenida Malecón Júlio Izurieta) foi toda estruturada, há banheiros, passeio, a rua foi asfaltada, diferentemente das outras que estavam em obras naquele tempo.

Com as melhorias de Rafael Corrêa houve a abertura de diversos hotéis na cidade, restaurantes e agências de passeios. Por isso, a Malecón Júlio Izurieta é o melhor endereço para ficar em Puerto López.

A orla de Puerto López, muito bem estruturada.
A orla de Puerto López, muito bem estruturada.
Mas as outras ruas eram bem ruins. A notícia boa é que estavam fazendo o asfalto nas outras ruas da cidade.

Transporte em Puerto López

Ir e vir na cidade é muito fácil, afinal, é um lugar pequeno, então é muito tranquilo se deslocar a pé. Para ir para outros locais turísticos também é fácil. A todo tempo passam ônibus pela rodovia do Sol para todos os lados, é só parar um e perguntar se está indo para o lugar que você quer, além do que as passagens são muito baratas, giram em torno de U$ 1,00.

Porém, se você está cheio de mala e precisa ir para a sua hospedagem ou à rodoviária, um transporte bem alternativo são os tuk tuks muito presentes na cidade.

Eu usei um desses para ir para a rodoviária e paguei U$ 1,00, porque eu era turista e me cobraram mais caro. Para as pessoas de lá a passagem custa U$ 0,50. Não deixe de dar uma volta em um tuk tuk porque é o transporte símbolo de Puerto López.

Os tuk tuks, transporte barato e muito comum da cidade.

O que fazer em Puerto López

Los Frailes

A praia de Los Frailes é uma das áreas que integram o Parque Nacional Machalilla, na Província de Manabi, sendo considerada uma das poucas praias que ainda conserva suas características naturais.

Los Frailes fica entre Puerto Lopéz e o povoado de Machalilla e por isso é bem fácil chegar, é só pegar um ônibus ou na rodoviária de Puerto Lopéz ou em pontos específicos do ônibus na rodovia, a via principal da cidade.

Eu estava em um grupo grande para ir a Los Frailes e pegamos o ônibus na rodovia por U$ 0,50. Perguntamos se passava pelo parque e entramos. O ônibus passou na rodoviária logo depois. Lá a passagem fica um pouco mais cara em razão da taxa.

A viagem é tranquila, passa por várias partes da redondeza e até em frente a comunidade de Água Blanca, mais um lugar para visitar, para quem tiver um tempinho.

Chegamos em frente a entrada do parque. É um local bem simples, praticamente só uma guarita com um guarda para realizar a identificação dos visitantes, principalmente dos estrangeiros.

As pessoas podem entrar em Los Frailes até as 15:30 horas, sendo que o parque funciona entre 08:00 e 16:00 horas. Não adianta tentar ficar lá por mais tempo porque tem um guarda parque percorrendo a trilha informando a todos que devem se dirigir à recepção.

Os caminhos a serem percorridos possuem em torno de 3 kms, perfeitamente bem direcionados e auto-guiados. Para percorrê-los há duas alternativas: para quem não gosta de andar pode pegar um tuk tuk que fica na entrada do parque. Existe um caminho alternativo para quem vai motorizado.

Para quem está a pé e vai andando mesmo pode fazer esse caminho dos tuk tuks indo direto para a Praia Grande ou fazer o caminho normal para os pedestres e que percorre todas as praias até chegar a praia Grande de Los Frailes.

Eu fiz o caminho dos pedestres na ida e na volta e achei lindo. Ele tem mirantes, todas as entradas das praias possuem placas. Enfim, Los Frailes é um lugar ótimo para ir e fácil de percorrer.

Uma coisa sobre Los Frailes é que o clima de lá é completamente diferente do resto da região. Sai de Puerto López com um jeito de chuva daqueles, mas todos diziam que em Los Frailes estaria sol, que Los Frailes é diferente. E é mesmo! Dava para ver a chuva em volta mas não chegou até nós.

O único erro que cometi foi ir de chinelo. Sim, eu que sempre falo para ir de calçado fechado para as trilhas fiz exatamente o que não se deve fazer.

Acontece que eu não tinha muitas informações a respeito de Los Frailes e acabei achando que era só uma praia. Me dei muito mal. O chinelo acabou machucando meu pé e foi muito ruim para fazer a trilha que tem alguns sobes e desces.

Para ir embora é só voltar à recepção e esperar o ônibus ali em frente. Quando um ônibus qualquer passar faça sinal e pergunte se ele vai para Puerto Lopez. Pronto! A passagem de volta custou U$ 0,50.

O início da caminhada para a praia. Ali na frente o desvio: quem vai motorizado fica a esquerda e quem vai a pé fica a direita.
Trilha muito bem demarcada.
Primeira praia. Ao longe dá para ver a chuva se formando no povoado ao lado. Em Los Frailes nada de chuva.
Caminhando mais um pouco chegamos na segunda praia. Linda ela!
De cima do mirante dava para ter essa visão maravilhosa da praia grande de Los Frailes. É nesta praia ai que você chega se vai de tuk tuk.
E do mesmo mirante a visão do outro lado de onde a gente já tinha percorrido. Los Frailes realmente é muito bonito.
Todo o parque é bem sinalizado e com trilhas bem demarcadas.

Isla de La Plata e Isla Salango

A Isla de la Plata é conhecida como Galápagos dos Pobres. Isso quer dizer que para quem não tem dinheiro suficiente para ir para a Galápagos de verdade este é um lugar que te dará um bom aperitivo.

Contratei o passeio para Isla de La Plata e Isla Salango no hostel mesmo, apesar de que a agência que eles representavam era bem ali do lado. Os dois passeios custaram U$ 45,00.

A Isla de La Plata pertence ao Parque Nacional de Machalilla e fica a 40 quilômetros de Puerto López. Hoje não mora ninguém por lá, há somente a hospedagem dos funcionários do parque.

Nosso grupo entrou no barco, tirou os calçados e só recolocamos na ilha onde há um lugar para lavar os pés.

Recebemos as informações do parque e seguimos para as trilhas junto com o guia do nosso barco. Há 5 trilhas que podem ser visitadas, sendo que uma ou outra pode estar fechada para a preservação dos bichos. E isso ocorreu conosco, em uma das trilhas não podemos ir.

Mas os caminhos que percorremos valeram muito a pena. Foi o passeio que mais gostei de fazer na cidade. É muito legal ver todos aqueles animais que só tinha visto em livros e documentários, ali, bem pertinho. Bem pertinho mesmo.

Pelicanos, albatrozes, fragatas e os patas azuis, que lá eles chamam de piqueros, são algumas das aves que conseguimos ver. Fiquei apaixonada pelos patas azuis. Eles estão em grande parte da ilha e são lindos. Dá para ver desde os casais, os filhotes novinhos a adultos nos ninhos cuidando dos ovos.

Depois da ilha o passeio conta com uma hora para snorkel em algum ponto da costa. Confesso que não fiz o snorkel porque estava traumatizada com um mergulho de cilindro na Colômbia um tempo antes e não aproveitei a oportunidade. Se fosse hoje não deixaria escapar!

No outro dia fiz o passeio para a Isla Salango. Sinceramente não vi muita coisa legal nesse passeio, afinal, no dia anterior o Isla de La Plata já tinha superado todas as minhas expectativas.

Na Isla Salango você não desce, só contorna a ilha, vê algumas aves ao longe e faz snorkel por um tempo, depois aproveita a praia de uma pequena ilha ali próxima.

É um passeio mais barato e para quem não quer andar pode ser bom, embora as trilhas da Isla de La Plata sejam pequenas e fáceis de percorrer.

Embarcando no cais do porto.
Todo mundo chegando na Isla de la Plata e colocando os calçados.
Percorrendo as trilhas da ilha.
E essa vista da ilha.
Os patas azuis. Apaixonada por essas aves coloridas.
Pata azul e seus filhotes famintos.
E esses outros ai… lindas aves.

Outros atrativos

Muita gente não sabe mas Puerto López é um lugar privilegiado para o avistamento de baleias jubarte. Entre julho e setembro as agências oferecem esse passeio.

Para quem gosta de mergulho com cilindro também é um lugar propício. Há muitas empresas na cidade que oferecem o serviço.

Outro passeio bacana e econômico é uma ida até o cais do porto dos barcos pela manhã, fique por lá e veja a quantidade de aves que ficam nessa região em busca dos restos de peixes que os barqueiros deixam. É uma briga intensa entre pelicanos e gaivotas pelo alimento.

Além dos animais é interessante ver a rotina dos pescadores da cidade, como eles se organizam, tomam café na areia em barraquinhas que vendem todo o tipo de coisa.

Bem cedinho perto do cais.
Do cais dá para ver melhor a briga por alimento entre pelicanos e gaivotas.

Gostou de nossas dicas sobre Puerto López? Eu amei essa cidade tão desconhecida dos brasileiros. Não deixe de conferir os nossos outros posts sobre o Equador:


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder