Paraty é uma cidade histórica repleta de natureza, com muitas praias e cachoeiras para oferecer para os turistas. Veja nesse post dicas sobre onde comer, quando ir, onde ficar.

Paraty foi um dos lugares que escolhi para ir na primeira viagem que fiz na vida de mochilão, e apesar de ter chovido todos os dias e eu ter conseguido aproveitar bem pouco do que esta cidade histórica e repleta de praias e cachoeiras tem a oferecer fiquei com uma grande vontade de voltar.

Porque visitar Paraty?

Sete anos depois eu voltei a Paraty e vou contar para você em alguns posts como foi essa última experiência de janeiro de 2020 em que combinei 4 dias inteiros em Paraty com cinco dias inteiros em Ilha Grande.

Paraty é aquele tipo de cidade que você se apaixona, tanto que eu, mesmo após uma experiência extremamente chuvosa, voltei. E por que isso? Porque tem coisas para todos os gostos.

Se você quer praias, terá as mais lindas para ir. Se quer cachoeira, tem muitas também. Quer turismo histórico? A cidade integra a Estrada Real e possui 33 quarteirões que compõem o Centro Histórico. Ah, mas tem coisas além disso? E tem. Você pode conhecer cachaçarias, os bares…Enfim, é um lugar que vale muito a pena ir!

Quando ir a Paraty

Por tudo o que citei ali em cima Paraty é um lugar para visitar em qualquer época do ano.

Mas se você quer aproveitar a praia vai encontrar maiores chances de pegar chuva entre outubro e abril, mas principalmente entre dezembro e fevereiro. Na primeira vez que fui a Paraty, em janeiro de 2013, em todos os dias em que estive na cidade choveu.

De qualquer forma resolvi pagar para ver e voltar lá na mesma época. Já que minhas férias se dão neste período eu não tenho outra opção.

Apesar de que desta vez eu consegui aproveitar todos os dias em Paraty a chuva esteve presente em alguns momentos, embora não tenha atrapalhado como em anos atrás. Mas se você, assim como eu, só tem férias em janeiro prepare-se, com certeza vai pegar chuva.

Por outro lado, nos meses mais secos, que se dão entre maio e setembro, as temperaturas são mais baixas e pode não ser tão bom ir para a praia.

Outro problema de ir no verão é que é alta temporada, isso quer dizer então que todos os passeios estarão lotados, assim como as ruas, as lojas, os bares, o Centro Histórico e os preços estarão mais salgados. Mesmo assim, consegui fazer uma viagem bastante econômica acompanhada da minha irmã e de uma amiga.

Como Chegar em Paraty

Bom, existem algumas formas de chegar em Paraty e as mais comuns são, de carro e de ônibus.

Encontrei alguns amigos lá e eles foram de carro desde o Rio de Janeiro, através da rodovia Rio-Santos. Como era alta temporada relataram que pegaram um trânsito daqueles, mas conseguiram sair às 08:00 e chegar em torno de 14:00 horas.

No meu caso saí de São Paulo para Paraty de ônibus, e nessa ocasião levei 10 horas para chegar ao destino final.

A minha viagem começou em um voo de Vitória – ES para São Paulo – SP no dia 02 de janeiro. Eu e minha irmã poderíamos ter optado pelo Rio de Janeiro, mas preferimos ir para São Paulo, afinal, eu não conhecia ainda a capital paulista.

De qualquer forma, ao optar por qualquer uma destas capitais, que são os pontos mais fáceis para pegar um transporte direto a Paraty, o jeito é ir até a rodoviária e pegar um ônibus para lá. No caso de São Paulo o terminal Tietê.

Claro, em alta temporada já estávamos com a passagem comprada através do Clickbus e o valor foi R$ 124,18, Viação Reunidas.

Em um período cheio como esse não deixe de comprar com antecedência a sua passagem, porque provavelmente você não encontrará na hora.

De São Paulo até Paraty de ônibus constam 6 horas de duração pela viação Reunidas, e do Rio de Janeiro 4,5 horas pela Viação Costa Verde. Saindo do Rio a passagem é um pouco mais barata.

O principal problema de ir tanto de ônibus quanto de carro para Paraty na alta temporada é o trânsito que você irá pegar. Principalmente se você sair de São Paulo, como nós. Quando pegamos a rodovia Tamoios não andávamos mais. Em Ubatuba foi ainda pior.

O mais legal disso tudo é que o motorista do nosso ônibus quando foi iniciar a nossa viagem nos disse o seguinte:

Bom dia a todos, por favor usem o sinto de segurança. Estamos iniciando a nossa viagem agora às 08:00 horas e nossa previsão de chegada é…Nenhuma!”

Nosso motorista estava certo. Saímos às 08:00 horas e deveríamos chegar às 14:00 horas. Chegamos às 18:00 horas.

Isso quer dizer que você não deve adicionar nada em seu roteiro no dia de chegada a Paraty. Deixe reservado só para chegar, seja vindo de São Paulo ou do Rio de Janeiro.

Mas se você não quer pegar um ônibus e não está de carro é possível também pegar um transfer, tanto de São Paulo para Paraty, quanto do Rio de Janeiro para Paraty e vice versa.

Algumas empresas fazem transfers regulares, inclusive saindo dos aeroportos, e transfers privativos. Uma delas é a Paraty Tours.

Onde Ficar em Paraty

Paraty é basicamente dividida em duas partes: O Centro Histórico e a parte nova, que não faz parte do Centro Histórico. Então onde ficar?

Na primeira vez que visitei a cidade fiquei em um hostel no Centro Histórico e agora ficamos em um hostel fora do Centro Histórico.

O bom de ficar no Centro Histórico é que você está perto do movimento, dos pontos turísticos, do cais, mas estará o tempo todo tendo que se equilibrar sobre as pedras irregulares que formam as ruas históricas.

Além disso, quando chove aquilo tudo fica cheio de água. Fora que as instalações, embora muitas vezes reformadas, são sempre velhas. Mas vou te falar, é um charme ficar no Centro Histórico.

Mas nesta última viagem ficamos fora do centro, mas bem perto dele. Em 11 minutos caminhando através da Avenida principal da cidade chegamos no Centro Histórico.

Também ficamos em um hostel com instalações novas, longe do movimento e das pedras irregulares. E não achava perigoso voltar a pé a noite. Então acho que seria uma questão de gosto e do preço da diária.

Ficamos no hostel El jardin, muito bem localizado, mas fora do Centro Histórico. O hostel fica em uma casa nova, tem piscina, um café da manhã muito bom e ar condicionado nos quartos. Achamos o lugar bem legal, com bom custo-benefício. Nossa diária saiu R$ 54,00, ao fim pagamos R$ 270,00 por 5 diárias.

O único problema do hostel é a presença de um só banheiro em cada quarto, e cada quarto tem 8 pessoas. Imagina 8 mulheres chegando da praia e querendo um banho. Isso dificultava mesmo, mas todos conseguíamos ficar bem no final.

De qualquer forma não vá para Paraty sem ter uma reserva. Vi muita gente aparecendo no hostel perguntando se ainda tinha vaga. Em uma dessas você pode ter que ficar hospedado em um lugar muito caro ou num lugar ruim.

Onde Comer em Paraty

No quesito comida eu e minha irmã não somos muito adeptas de comer em locais caros. Gostamos mesmo é de uma refeição boa e honesta, e tudo isso com um preço camarada.

Para isso Paraty é um lugar maravilhoso, oferecendo desde opções mais baratas até aquelas mais caras. Tem para todos os gostos.

Devo dizer que comemos em um restaurante no Centro Histórico somente um dia, nos demais optamos por outros restaurantes da avenida principal. Ali você encontra diversas opções e com preços mais agradáveis. Além de não precisar ficar andando pelas pedras irregulares do Centro até achar um restaurante que você goste.

Aqui vai uma informação importante: Geralmente só jantávamos. Como passávamos o dia inteiro andando de um lado para o outro a refeição que decidimos manter todos os dias foi o jantar.

No dia que chegamos em Paraty demos uma volta no Centro Histórico, sem muita ideia de onde comer, observando as ruas, os espaços. Daí quando a fome apertou praticamente entramos no primeiro restaurante que encontramos e que tinha um preço razoável, e foi o Candeeiro, situado na Rua da Lapa.

Eu diria que a Rua da Lapa é a rua principal do Centro histórico porque a avenida principal, de asfalto, acaba e a Rua da Lapa começa.

O restaurante estava lotado e só tinha uma mesa vazia que foi a que eu e minha irmã sentamos. A princípio ela ouviu de alguns clientes que a comida estava demorando muito, mas pedimos mesmo assim, até porque não tínhamos mais energia para caminhar, porém a comida chegou rápido.

Pedimos uma refeição para duas pessoas com arroz, batata souté e filé com molho de mostarda, e cada uma pediu um suco. Estava bom. No fim a conta somou R$ 42,50 para cada uma com os 10% inclusos.

No outro dia optamos pelo restaurante Casa do Jessé que fica na avenida principal. Na verdade ninguém repara esse nome, somente na parte restaurante e pizza que está no letreiro.

É um lugar bem simples e está sempre cheio. A comida desse lugar é maravilhosa e o preço também.

Comemos ali duas vezes. No primeiro dia pedimos uma refeição para duas pessoas com arroz, feijão, farofa, salada e contra filé. Caramba, suamos para comer e mesmo assim não demos conta.

A refeição não é grande, é gigante, e alimenta fácil umas 4 pessoas. Somados os sucos que pedimos e os 10% cada uma pagou R$ 42,00 pelo jantar.

No dia que voltamos ao restaurante pedimos uma pizza e estava muito gostosa. Mais uma vez com os sucos e os 10% pagamos R$32,00 cada uma.

Devo dizer que a primeira vista eu não estava querendo entrar neste restaurante mas acabei indo e adorei. A comida chega rápido e é bem gostosa e bem servida. Para um viajante precisando repor as energias é uma boa alternativa.

Passando pela avenida eu vi um restaurante bonito e agradável chamado Avenida. Separamos um dia para comer nele. Decepção! Chegamos lá, sentamos e ninguém veio nos atender. Quando achei que o garçom vinha pegar nosso pedido – pegamos o cardápio de uma outra mesa vazia – ele foi limpar a mesa do lado.

Não deu outra, saímos e na fome que estávamos resolvemos ficar na galeria logo ao lado do Avenida. Nesta galeria há três restaurantes, um de comida mineira, que sempre está cheio, uma esfiharia, a Homus, e a Omeleteria Caiçara.

Neste dia decidimos ficar na esfiharia e ficamos muito satisfeitas. Cada uma pediu duas esfihas e um suco. Pediríamos mais porém as esfihas são bem grandes e duas já foram suficientes.

O preço de cada esfiha, dependendo do sabor, gira em torno de R$7,00, mas o cardápio tem muito mais coisa. Pagamos cada uma R$ 23,65.

Também jantamos na Omeleteria Caiçara. Apesar do nome ela atende a todos os gostos, o que é muito bom porque a minha amiga tem intolerância a leite e a minha irmã detesta ovo. Com essa diversidade eu pedi uma refeição com peixe grelhado, arroz e legumes, a minha amiga pediu um omelete recheado com cogumelo e a minha irmã pediu um espaguete com camarão e brócolis.

Olha, me surpreendi com o tamanho do prato e com o sabor. Tudo é simples, muito bem servido e gostoso demais. Nesse dia pagguei R$ 36,90 contando refeição, suco e os 10%.

onde comer em paraty rio de janeiro, galeria de restaurantes
Galeria com os restaurantes que comemos: Ao fundo do lado direito o Tempero Mineiro, do lado esquerdo a Esfiharia e a frente a Omeleteria. Não dá da perceber os nomes mas são lugares muito bons.

Uma coisa que você não deve deixar de comer em Paraty sãos os doces que são vendidos nos carrinhos, que são figuras tradicionalíssimas da cidade.

Todos os dias vários vendedores ficam espalhados nas ruas do Centro Histórico com seus carrinhos contendo uma diversidade de doces, desde bolos até quebra-queixo, cocada, brigadeiro.

Eu queria muito comer uma cocada de um carrinho, mas sempre jantava em algum restaurante na avenida e quando chegava no Centro Histórico para dar uma volta já não conseguia comer mais nada.

Mas um dia voltando de um passeio de barco e passando pelas ruas de pedra comprei a minha sonhada cocada do carrinho. Que delícia!

O meu doce e o das meninas custou R$ 6,00 cada um e pasme, se você chegou do passeio sem dinheiro o tio do doce tem maquininha de cartão. Pelo menos nós compramos em um carrinho em que o vendedor tinha.

doces de rua em paraty rj são bons
Um dos muitos carrinhos que ficam pelas ruas de Paraty.

O que fazer em Paraty

Paraty tem muita coisa para fazer, são cerca de 300 praias, diversas ilhas, sem contar as cachoeiras e outros passeios que podem ser feitos e ainda tem a parte histórica da cidade.

É, montar um roteiro para alguns dias em Paraty não é fácil! O principal desafio é escolher o que fazer sendo que existem tantas possibilidades.

Quatro dias em Paraty é pouco? É sim, mas fazer o quê se meu mochilão dessa vez tinha os dias mais contados.

Se você puder fique um pouco mais! Mas se não, fique o quanto der que será bom demais.

O meu roteiro para Paraty ficou organizado dessa forma:

1º dia: Transporte de São Paulo para Paraty – Ônibus às 08:00 horas Viação Reunidas.

2º dia: Praia do Sono

3º dia: Trindade

4º dia: Centro Histórico/Passeio de barco

5º dia: Paraty-mirim/Saco de Mamanguá

6º dia: Forte do Defensor Perpétuo/Ida para Ilha Grande

Você pode conferir como foram os passeios nos nossos outros posts:

Gastos da Viagem

A minha viagem durou 15 dias, contando com o deslocamento de Aimorés, MG, onde moro, até Vitória. Daí para São Paulo e então para Paraty. Estive em Paraty entre 03 e 08 de janeiro. Posteriormente fomos para Ilha Grande, em Angra dos Reis, e ficamos lá entre 08 e 14 de janeiro. Voltei para Aimorés no dia 16 do mesmo mês.

Todos os gastos referentes ao mochilão por esses dois lugares maravilhosos do estado do Rio de Janeiro podem ser conferidos na tabela abaixo:

PLANILHA DE CUSTOS DA VIAGEM – PARATY/ILHA GRANDE – 02/01/2020 A 16/01/2020
GastosValor (R$) – BRL
Passagem de avião Gol – Vitória/São Paulo – CongonhasR$ 318.64
hostel El Jardin – ParatyR$ 270.00
hostel Beira Mar – Ilha GrandeR$ 464.00
hostel em São Paulo – uma diáriaR$ 70.00
Uber para aeroporto de Vitória – total R$ 5,60R$ 2.80
Uber hostel em SP/Terminal Tietê – total R$ 24,00R$ 10.55
Uber aeroporto de Congonhas/Hostel em SP – total R$ 17,50R$ 9.75
Lanche na rodoviária de São PauloR$ 12.00
Lanche parada de ônibusR$ 5.00
Lanche parada de ônibus em UbatubaR$ 10.00
Biscoito e águaR$ 6.78
Passagem de ônibus Viação Colitur ida e voltaR$ 10.00
Jantar no CandeeiroR$ 42.50
Passagem de ônibus Viação Colitur ida e voltaR$ 10.00
Açaí + PãoR$ 11.00
Jantar na Casa do JesséR$ 42.00
Pizza na Casa do JesséR$ 32.00
SalgadosR$ 10.00
Passeio barco GaldiadorR$ 90.00
Cachaça + ímãsR$ 116.80
Jantar na Esfiharia HomusR$ 23.65
Cocada no carrinhoR$ 6.00
Passagem de ônibus Viação Colitur ida e voltaR$ 10.00
Passeio de barco no Saco de MamanguáR$ 100.00
Jantar na Omeletria CaiçaraR$ 36.90
Ônibus Viação Colitur para Angra dos ReisR$ 16.00
Barca para Ilha GrandeR$ 16.70
Água + pão + biscoitoR$ 7.00
Passeio Volta a IlhaR$ 200.00
Jantar no EspetinhoR$ 22.00
Passeio Ilhas paradisiacasR$ 170.00
Lanche no EspetinhoR$ 12.00
Lanche no ShawarmaR$ 28.00
Lanche no EspetinhoR$ 22.00
Passeio Meia volta a IlhaR$ 130.00
BrownieR$ 7.00
Lanche no EspetinhoR$ 11.00
Pizzaria FornilhaR$ 47.30
ÍmãR$ 6.00
Almoço no Armação dos AnjosR$ 40.00
Jantar no Armação dos AnjosR$ 40.00
Fast boat – Abraão/AngraR$ 60.00
Kebab metade de um YakisobaR$ 35.32
Sorvete no Frente friaR$ 14.88
Passagem de ônibus Angra/SP (ClickBus)R$ 148.78
Passagem de ônibus SP/Paraty (ClickBus)R$ 124.18
lanche na estradaR$ 9.00
Uber – Estação Santa Luzia/Rodoviária de Angra – total R$ 7,00R$ 3.25
lanche na estradaR$ 12.00
Uber Rodoviária de SP/hotel – total R$ 17,43R$ 8.71
Flat em São Paulo uma diária = R$ 152,00R$ 76.00
Lanche no StarbucksR$ 14.90
Almoço em São PauloR$ 38.70
Uber Hotel/Aeroporto de Congonhas – Total R$ 22,00R$ 11.00
Uber Aeroporto de Vitória/casa – Total R$ 7,60R$ 4.00
Passagem de trem para AimorésR$ 48.00
Passagem de ônibus Aimorés/VitóriaR$ 47.94
Uber para a Estação FerroviáriaR$ 22.61
TotalR$ 3,174.64

E aí? Gostou das nossas dicas sobre mais essa viagem legal para fazer?
Deixe seu comentário ou dúvida aqui embaixo, que ficaremos felizes em ver seu comentário.


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder