Itamonte é uma pequena cidade do Sul de Minas Gerais. Embora seja pequena ela é cheia de coisas legais para todo o tipo de turismo. E é isso que você vai ver nesse post: algumas dicas de quando ir, onde ficar e comer neste lugar.

Você também pode acessar pelos links:

A pequena Itamonte

Itamonte é uma cidade situada no Sul de Minas Gerais, na divisa com o Rio de Janeiro. Ela é bem pequena, tem um pouco menos de 16.000 habitantes e tem uma população essencialmente rural.

A cidade é tão pequena que a população rural não chega a formar distritos, mas sim bairros, o que para nós, a princípio, foi difícil de entender. É porque apesar de estarem em regão rural estes locais não chegam a ter uma aglomeração de pessoas suficiente para compor um distrito. Percebemos que isso é bem comum no Sul de Minas.

Para nós, que moramos no Leste de Minas, Itamonte foi uma surpresa do começo ao fim. Acostumados com um calor infernal no verão e temperaturas nem tão baixas no inverno, encontramos um clima bem agradável.

A paisagem nem se fala, araucárias por todos os lados, mata mais preservada e muita água, muita mesmo. Para cada lugar que você olha há um riacho, uma cachoeira, assim, sem mais nem menos.

Tudo isso garante paisagens bucólicas e um clima bem acolhedor para esta cidadezinha e uma vontade gigante de ficar muito tempo por lá.

Outra coisa bem legal é que a cidade fica numa região de grande produção de queijo parmesão e truta. Todo mundo na cidade tem um tanque para a criação de truta e todo mundo produz ou vende o queijo parmesão.

E para fechar com chave de ouro é em Itamonte que fica a entrada da parte alta do Parque Nacional de Itatiaia.

Itamonte: Quando ir

Nós estivemos em Itamonte entre 17 e 22 de janeiro de 2021, e mesmo sendo um período de muita chuva tivemos sorte. Choveu um ou dois dias pela madrugada e de dia fazia um sol bem gostoso. Mas nos disseram que até um dia antes de nossa chegada todo dia chovia de tarde.

É aquilo né, verão é sinal de que você pode perder alguma coisa por causa da chuva. Dessa vez não aconteceu com a gente.

De acordo com as médias de precipitação da região janeiro é um mês que chove praticamente todos os dias e as temperaturas geralmente ficam abaixo dos 30°C. Porém, a noite sempre faz um friozinho nos bairros rurais, por isso é importante levar um casaco.

Embora o verão seja um tempo de chuva é a melhor época para curtir as muitas cachoeiras da região. Isso porque a água é gelada, então é difícil de entrar em qualquer uma delas com temperaturas mais baixas.

Por outro lado, para quem deseja escalar os picos do Parque Nacional de Itatiaia ou fazer uma travessia, ou ainda, outra trilha de lá, uma boa época é o inverno, que é quando as possibilidades de chuva são pouquíssimas e o céu geralmente está limpo, mas é muito frio, com mínimas de 10°C ou até menos, e sensação térmica bem menor que isso.

Onde ficar em Itamonte

Nós ficamos no bairro Engenho da Serra, bem às margens da BR 354, que liga Minas Gerais ao Rio de Janeiro.

Nós reservamos nossa hospedagem pelo Booking.

Realizando a reserva pelo site você não encontrará nenhuma hospedagem na cidade de Itamonte propriamente dita, isso porque a maior parte da rede hoteleira fica nos bairros rurais, que é onde está a maior parte dos atrativos da cidade.

No centro da cidade existem alguns hotéis, mas geralmente os turistas não ficam neles, provavelmente pela razão que eu falei ali em cima.

Dependendo do que você quer fazer reservar uma hospedagem ao longo da BR 354 seja uma melhor alternativa. É por essa estrada que o turista tem acesso ao centro de Itamonte, ao estado do Rio e ao Parque Nacional de Itatiaia.

Nós nos hospedamos no Solar Picu Eco-hospedaria. Nesse local não há café da manhã mas tem uma cozinha à disposição o tempo todo. A dona do lugar, a Sra Beatriz é muito simpática e nos deixou bem à vontade.

Achamos que seria um lugar legal para ficar em um ou dois dias. Nós que ficamos mais tempo pensamos que seria melhor outra hospedagem. Isso porque não há serviço de limpeza no local.

Segundo a própria dona os turistas poderiam eles mesmos passarem um pano nos banheiros que estivessem usando, porque era só ela que cuidava dos serviços. Embora seja um local que tenha poucos hóspedes pagamos uma diária que deveria contemplar tudo, afinal, nos demais locais as diárias não eram tão acima e teríamos limpeza completa.

Sendo assim, em todos os dias que ficamos por lá nosso quarto não foi varrido nenhum dia e nem o banheiro limpo, se não fosse por nós. Não utilizamos a cozinha, mas achamos bem equipada.

Por outro lado, se pudéssemos voltar escolheríamos nos hospedar no Instituto Alto Montana. Este local também fica no bairro Engenho da Serra, bem perto de onde ficamos.

O Instituto é uma RPPN que foi aberta para a hospedagem. Porém, antes do lugar ser comprado e se tornar uma RPPN era um luxuoso hotel. Então as hospedagens atuais usam toda essa estrutura que já existia.

No tempo que fizemos nossa reserva não vimos esse lugar mas ele aparece no Booking e achamos que vale muito a pena ficar por ali. Isso porque o hóspede ainda tem acesso a todas as cachoeiras e trilhas que existem no lugar e não precisa pagar Day Use.

Além de ser um local lindo e aconchegante.

Para se hospedar lá talvez seja melhor entrar em contato com o próprio local porque há uma diferença no preço da hospedagem se você usar a roupa de cama do local ou levar a sua própria.

Outros dois lugares famosinhos são os Hostel Picus e o Yellow House. O primeiro fica bem em frente a entrada do Instituto Alto Montana, já o segundo fica um pouco abaixo, mais próximo da cidade. Para quem viaja sozinho e até para quem não esteja de carro acho que estes dois hostels são alternativas muito boas, porque as equipes organizam alguns passeios pela região.

Todos os locais que citei ficam à margem da BR 354.

Onde Comer em Itamonte

De dia há vários restaurantes e outros locais para comer em Itamonte, já a noite os restaurantes ao longo da BR 354 fecham e o jeito é descer até a cidade ou se você estiver em algum bairro rural longe desta via é preciso verificar se há algum restaurante por perto, senão, o jeito mesmo é ir até a cidade.

Lojas da Garganta do Registro – Loja da Verinha

Para quem vai a Itamonte e vai subir o parque ou vai para o Rio é obrigatório ir até a Garganta do Registro. Esse local é um bairro rural muito pequeno que tem apenas a entrada do parque, um hotel e algumas barracas de comida para quem passa.

Como nossa hospedagem não tinha café da manhã nós íamos lá todos os dias tomar café da manhã e as vezes levávamos mais algumas coisas. As vezes íamos lá a tarde também.

Apesar da Garganta do Registro ter mais barracas nós íamos sempre na mesma: a Barraca da Verinha. O atendimento dali é muito bom, tudo é muito gostoso e a Verinha, ah, a Verinha é um doce de mulher que sempre tenta agradar o cliente.

Além do pão com linguiça delicioso, você pode comprar um cural daqueles de dar água na boca. Tem também milho verde cozido, queijo de todos os gostos, salaminhos, doces, enfim, uma infinidade de coisas.

Compramos várias coisas para comer a noite, quando chegávamos cansados dos passeios, como o salaminho e o cural.

No último dia fizemos nossas compras de queijos, geleia, doces e truta, todas na Loja da Verinha. O preço é bom e a Verinha sempre dá um descontinho bacana.

Onde Comer em Itamonte
Garganta do Registro: divisa de Minas e Rio.
Quando ir
Loja da Verinha.
Restaurante Sobradinho

Esse restaurante fica a margem da BR 354. Quando chegamos na cidade no domingo vimos ele com muitos clientes e no outro dia resolvemos ir até lá. O restaurante é muito bom. Tem um riacho que passa bem ao lado dele e você pode comer com aquele barulhinho de água passando.

Pedimos uma refeição para duas pessoas de arroz, feijão, salada, farofa e truta. Devo dizer que o prato de salada é imenso e diverso e o tempero da comida é muito bom, com gosto mesmo de comida caseira.

Como estávamos só a gente no restaurante até conversamos um pouco com o dono, que é muito simpático (não recordo o nome dele). Ele disse que é a mulher dele que é a cozinheira.

Explicou também que não deixava ninguém usar o riacho ao lado para banho porque precisava que a água chegasse limpa para os vizinhos abaixo, porque eles usavam a água para consumo próprio, e ainda falou de alguns lugares legais da cidade.

Toda a nossa refeição com um suco ficou em R$ 42,00 para cada um.

Restaurante Sobradinho! Bem do lado da BR 354.
Almoço no Restaurante Sobradinho
Barrica Pizzaria e Cantina

Queríamos comer pizza e perguntando pela cidade nos indicaram o Barrica. O lugar é muito legal, tem um atendimento ótimo e a comida é bem gostosa.

Não chegamos a pedir pizza, pedimos mesmo uma refeição de arroz, batata souté e truta ao molho de alcaparras e ao molho de champignon. Esse jantar regado com mais duas cervejas ficou em R$ 44,00 para cada um.

É um ótimo lugar para ir e vale ir até a cidade para comer pizza ou alguma refeição no Barrica.

Bistrô e Hamburgueria

Descemos mais um dia para a cidade para comer alguma coisa e resolvemos ir em outro lugar que não fosse o Barrica. Encontramos o Bistrô e Hamburgueria no Google e resolvemos ir até lá.

É um restaurante/lanchonete que fica em uma casa. De início achamos estranho mas entramos assim mesmo. Em época de pandemia estava vazio e resolvemos ficar. Comemos uma porção de filé com fritas e tomamos uma cerveja. Lá também tem japonês, para quem gosta pode ser uma opção, e também tem vários lanches.

Pagamos R$ 35,00 cada um por esse jantar. Acho que preferíamos ter ido em outro lugar. O clima muito amador de ser um restaurante num ambiente doméstico não foi algo que nos agradou tanto.

Bistrô Restaurante, bem no quintal de uma residência.
Príncipe da Laranja

Está ai uma ótima opção, muito barata, de um lanche rápido no centro de Itamonte.

Para quem vai ao centro da cidade vê várias destas pequenas lanchonetes/vendas de laranja. É um lugar simples que basicamente vende laranja e também vende o suco de laranja e salgadinhos. É tudo bem barato e bem gostoso.

Por dois copos de suco e dois salgados nós pagamos R$ 13,00. O suco é R$ 2,50 e o salgado é R$ 4,00 cada. Muito bom não é?

Príncipe da Laranja é uma lanchonete bem simples mas muito boa.

Outras dicas da cidade

Como obter água

Uma coisa super legal de Itamonte é que se você estiver hospedado em algum bairro rural, principalmente ao longo da BR 354, não precisa comprar água.

Próximo aos restaurantes, na Garganta do Registro, e outros locais há uma bica de água potável. Sempre tem um cano com uma placa escrito: “Água potável”.

É aquela coisa que o dono do restaurante Sobradinho disse. A água ali realmente é muito limpa e você pode tomar tranquilamente. Prova disso é que no bairro Engenho da Serra tem uma enorme fábrica de água mineral que engarrafa essa mesma água que está disponível para a população.

Um dos lugares de água potável ao longo da BR 354.

Você pode conferir nossos gastos na cidade na tabela abaixo e outras dicas de Itamonte em nosso outro post.

PLANILHA DE CUSTOS DA VIAGEM – 17/01 A 22/01/2021 – Valores para duas pessoas
GastosValor (R$) – BRL
hospedagem no hostel Picu – 5 diárias700,00
lanche na barraca da Verinha17,00
vinho35,00
compras na barraca da Verinha e café da manhã51,00
almoço no restaurante Sobradinho84,00
café da manhã na barraca da Verinha28,00
compras de queijos e azeite em Alagoa155,00
lanche no príncipe da laranja13,00
abastecimento com etanol100,00
jantar no Barrica88,00
café da manhã na barraca da Verinha23,00
day Use no Instituto Alto Montana40,00
compras no centro da Itamonte14,00
lanche no príncipe da laranja13,00
compras no supermercado13,35
lanche em Itamonte11,00
compras na barraca da Verinha20,00
ingresso do Parque Nacional de Itatiaia36,00
guiamento e transfer da agência Itahigh380,00
jantar no bistrô e hamburgueria70,00
café da manhã na barraca da Verinha22,50
compras na barraca da Verinha271,50
abastecimento com etanol70,00
Total2.255,35

0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder