Já ouviu falar dos Cinco Pontões Capixabas? Não? Nós também não! Como assim, tão pertinho da gente! E foi assim que fomos conhecer os Cinco Pontões Capixabas em um fim de semana. Leia esse post e vá conhecer você também.

O Espirito Santo é o lugar dos pontões: Monumento Natural dos Pontões, Três Pontões, Cinco Pontões. É montanha para todo tipo de aventureiro! E em meio tantas destas paisagens escolhemos os Cinco Pontões Capixabas para passar o fim de semana do carnaval.

Para muita gente, assim como para o Léo, o carnaval se restringe ao fim de semana e à terça-feira de feriado. Desta forma, decidimos passar o carnaval por perto.

A Pousada

Após algumas pesquisas verificamos que ali em Itaguaçu, bem pertinho da gente, tinha a Pousada Recanto da Pedra. Encontrei esse lugar por acaso pesquisando um outro assunto em um blog de aventuras e achei a ideia legal e o Léo também gostou.

Curti a página da Pousada no Facebook e entrei em contato pelo Messenger. Eles respondem bem rápido!

No local existem duas casas que já estavam alugadas, portanto, só nos restava o camping. Ficamos com esse mesmo, até porque é mais econômico.

Lá mesmo são oferecidos passeios e diversas outras atividades que são todas realizadas pela empresa Vertical Livre. A empresa foi montada pelos donos da pousada.

Se você tiver um fim de semana livre e aparecer por lá de bobeira é bem provável que consiga fazer alguma coisa sem muitos problemas.


Uma das casas para hospedagem no Recanto da Pedra

Durante o carnaval seriam oferecidas a escalaminhada na pedra dos Cinco Pontões Capixabas, o voo de parapente, parede de escalada, rapel, entre outras atividades ao gosto do hóspede.

Nós resolvemos ficar somente com a escalaminhada e o camping porque nossa ideia era fazer também a trilha que circunda os pontões.

Como a pousada fica em zona rural fomos ao supermercado e fizemos uma comprinha básica de algumas coisas para lanche durante as trilhas e para comer à noite.

Lá na pousada tem almoço para os hospedes por um preço fixo de R$ 25,00 por pessoa para comer a vontade, self-service, sendo assim, não nos preocupamos com essa parte.

O caminho até os Pontões

Tudo combinado e planejado, no sábado de manhã partimos para o nosso fim de semana de aventuras!

Procurando o caminho pelo Google ele nos deu algumas alternativas e sim, nenhuma era muito boa.

Segundo o dono da pousada deveríamos ter ido até Itaguaçu e ali ligar o GPS que o caminho seria rápido. Legal, deveríamos ter perguntado antes!

Como saímos de Baixo Guandu e logo ali já acionamos o caminho as três alternativas que o Google nos deu nos levavam para longas distâncias de estrada de chão.

O primeiro caminho do GPS é a ES 165 que passa por Ibituba, ou seja, a estrada inteira é de chão e descartamos logo durante nosso planejamento em casa.

Portanto, pegamos o caminho rumo à Itaguaçu pela ES 446 e ES 164 e antes de chegarmos a Itaguaçu entramos em uma estrada de terra a direita. Andamos um pouco por ali e voltamos. Era uma estrada bem estreita, não sentimos confiança nela.

Pegamos o outro caminho alternativo! Pelo menos ai a estrada de chão era a principal.

O fato é que mesmo que a distância percorrida seja pequena, quando a estrada é rural parece uma eternidade. E a gente nunca chegava e nada dos pontões aparecem até que…Após uma curva lá ao fundo na paisagem estavam eles!

Dai a felicidade foi grande, estávamos chegando, ou, pelo menos, estávamos no caminho certo!

No caminho avistamos os Cinco Pontões Capixabas

Além dos pontões começamos a ver várias cachoeiras surgindo entre as montanhas, lindas demais. O que para nós é muito diferente, já que em Baixo Guandu e em Aimorés cachoeiras são coisas difíceis de encontrar.

Alguns quilômetros depois vimos umas duas placas informando sobre os Cinco Pontões e mais a frente algum resquício de placa da Vertical Livre.

Segundo o pessoal da Pousada os próprios moradores destroem as placas informativas, o que é uma pena para o lugar. Vimos algo semelhante acontecer em nossa viagem para a Chapada dos Veadeiros em 2017.

Os donos da pousada nos informaram que ali na região somente eles fazem alguma coisa relacionada com o turismo e os demais moradores mesmo não fazendo nada, ainda destroem as placas.

Pois bem, depois de 3 horas de viagem, alguns quilômetros de poeira, chegamos ao nosso destino! A chegada é muito bem sinalizada e arrumadinha. Estacionamos o carro logo ali na área do bar, conhecemos o pessoal e logo nos levaram na área do camping.

O mais legal é que logo já te fazem se sentir em casa. Não tem aquela coisa de registro, de pagamento de diária, você chega e um aperto de mão já serve para te considerar um hóspede do lugar.

O camping

Antes de almoçar fomos montar a nossa barraca e como éramos só nós dois ali, os primeiros a chegar, podíamos escolher qualquer lugar para ela. E lógico, escolhemos uma boa sombra.

Já dali da área do camping tem-se uma visão dos Cinco Pontões Capixabas e da montanha que íamos subir.


Visão dos Cinco Pontões. O ponto mais alto é onde iríamos alcançar.

Nos primeiros cinco minutos ali no camping eu já tinha sido atacada por inúmeros borrachudos. É incrível a quantidade destes bichos nesse lugar, e o mais legal: esquecemos o repelente. Sendo assim, eu como boa alérgica a esses insetos tive que por uma calça!

Portanto, se você resolver ir até os Cinco Pontões, leve repelente, é algo imprescindível, até para os não alérgicos!

O camping é bem bacana, uma área de grama, algumas árvores dois banheiros ao fundo, um feminino e um masculino, com um tanque. Ali perto tem uma lagoa, o que vai render a presença de muitos sapos à noite e aquele barulho característico da presença deles.

Essa parte aí eu não agradei muito porque realmente tenho horror a sapos!


Nossa barraca bem à sombra

Depois de montada a barraca fomos almoçar. E nos esperava um bom almoço caseiro, daqueles bem fartos da roça. Conversamos com o pessoal e ficamos de sair para a subida na pedra às 16:30h, um outro casal iria com a gente.

Enquanto isso, aproveitamos para colocar um colchão no gramado e deitar por ali para descansar.

Trilha e escalada nos Cinco Pontões Capixabas

Na hora marcada estávamos na área de recepção esperando para irmos. O nosso guia seria o Jhonny. Entramos no carro dele, um 4×4, para chegarmos até a área de inicio da trilha.

No caminho pensei: que bom que até aqui dá para chegar de carro porque a subida é boa. Deixamos o carro e começamos a caminhar.

A trilha não é muito difícil, sem subidas íngrimes e longas e percorremos em uns 40 minutos até chegarmos à base da pedra onde iríamos começar a escalada. E a paisagem é muito bonita.


Paisagem ao longo da trilha.


Uma parte de subida da trilha, já quase alcançando a base da pedra.

Na base da pedra é hora de colocar o equipamento de escalada: somente uma cadeirinha e duas solteiras para ancoragem, já que não é muito vertical, é uma subida mais tranquila, mesmo assim o equipamento precisa ser usado e confere uma segurança à pessoa que está subindo.

Segundo o Jhonny algumas pessoas sobem a pedra sem equipamento algum, fazem a trilha sem roupa adequada ou suprimentos. Mas como é uma área devoluta qualquer pessoa pode ir.

Equipamentos colocados começamos a subir ancorando as solteiras no cabo de aço e segurando pela via ferrata na pedra. É uma subida tranquila, mas cansa um pouco, ainda mais que o sol estava a pino, porém foi divertido.

Para quem não gosta ou não tem muito jeito para escalar é um passeio muito legal. Lá em cima temos uma visão maravilhosa das pedras e da região e o pôr-do-sol é lindo.

Antes que o sol se pusesse completamente começamos a descer para que não ficasse muito escuro.

Posteriormente o Jhonny nos mandou umas fotos de uma subida que fez de madrugada para ver o nascer do sol. Imagens maravilhosas que me lembraram o nascer do sol no Pico da Bandeira que vimos no ano anterior quando estivemos no Parque Nacional do Caparaó.

Para quem não liga em acordar muito cedo para uma aventura dessas,  a subida para ver o nascer do sol é uma boa pedida.


Visão dos pontões de cima do ponto mais alto.

Vista da região de cima do ponto mais alto dos pontões.


O pôr-do-sol dos Pontões.

Chegamos na pousada exaustos, loucos para um banho mas com uma sensação maravilhosa. Nesse dia haveria noite do hambúrguer. Algumas vezes, no fim de semana, o pessoal da pousada se organiza para fazer esse evento de hambúrguer caseiro que é sucesso por ali.

Realmente parecia ótimo, mas como tínhamos comprado muitas coisas no supermercado resolvemos ficar na nossa barraca mesmo.

O banho é um pouco difícil de tomar. A água é fria e cai pouco pelo chuveiro, mas nada que seja impossível.

Café da manhã e partiu trilha margeando os Pontões!

No outro dia acordamos umas 09:30 horas da manhã e o café da manhã que nos esperava era sensacional, com tudo caseiro.


O café da manhã da pousada.

Nesse momento aproveitamos para saber sobre a trilha que margeia as montanhas porque queria ver a imagem clássica dos Cinco Pontões Capixabas que, na verdade, não são cinco, mas doze pontões.

Pois bem, a trilha tem 12 km de extensão com muitas subidas, tentamos pegar todas as informações possíveis, mas é muito difícil da fazer sem guia.

As informações rurais digamos que são um pouco difíceis de acompanhar porque é a segunda plantação disso, a terceira mata, enfim, no final você não sabe mais para onde foi, e foi o que aconteceu com a gente.

Andamos três quilômetros e resolvemos perguntar a alguém que passou pela estrada sobre o caminho e soubemos que tínhamos errado.

À esta altura eu já não aguentava mais andar porque com as picadas dos borrachudos do dia anterior mais a subida na pedra meu pé já tinha inchado muito e resolvemos voltar. Por fim, andamos seis quilômetros que não serviram para muita coisa e voltamos para casa.

Logo, se você quiser fazer a trilha que dá a volta pelas pedras, o que recomendo muito porque é muito bonito, preste muita atenção no que os guias falarem, anote as explicações ou contrate um para te guiar. Nesse dia eles já estavam fazendo outras coisas e não podiam ir conosco.

Apesar do pouco tempo adoramos a visita ao lugar. O pessoal da Vertical Livre é muito profissional e todos da pousada são muito amáveis, estão sempre dispostos a ajudar.

Além de tudo foi muito divertido e econômico. Aqui na tabela abaixo você pode conferir todos os nossos gastos para esses dois dias.

PLANILHA DE CUSTOS DA VIAGEM – 10/02 A 11/02/2018 – Valores para duas pessoas
Gastos Valor (R$) – BRL
Camping na Pousada Recanto da Pedra 50,00
Escalaminhada na Pedra dos Pontões 100,00
Almoço na Pousada Recanto da Pedra 50,00
Suco 4,00
Gasolina (R$ 4,00/Litro) 80,00
Compras no Supermercado 45,62
Total 329,62

0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder