Está com o roteiro apertado no Equador? Se liga nesse bate e volta a partir de Quito para o Vulcão Cotopaxi e a Laguna Quilotoa.

O Equador é o país dos vulcões. Em todo o seu território há 27 vulcões potencialmente ativos e outros já adormecidos e os vulcões Cotopaxi e Quilotoa se encaixam nestas duas categorias.

O Cotopaxi provavelmente é o vulcão mais visitado do Equador e um dos mais ativos do mundo. Já o Quilotoa é um vulcão não ativo onde se formou uma grande lagoa que recebe o mesmo nome.

Esses eram os dois vulcões que eu mais queria conhecer no Equador, principalmente o Cotopaxi, que dependendo do céu, você consegue avistar da capital Quito.

Eu diria que esses tanto o Cotopaxi quanto o Quilotoa são atrações imperdíveis deste país lindo.

Eu e meus amigos estivemos lá em um domingo. Fizemos o Cotopaxi e o Quilotoa no mesmo dia. É puxado? Muito. Mas para encaixar no roteiro fizemos desta forma.

Existem algumas agências que fazem os dois no mesmo dia, porém o mais comum e digo, recomendável, é fazer cada um a seu dia.

Nós fomos de transfer privativo com o Germán e sua esposa. Os mesmos que nos levaram do aeroporto para a cidade de Quito quando chegamos. Eles são maravilhosos! Esse passeio Cotopaxi + Quilotoa nos custou U$ 50,00 por pessoa.

Esse tour dura em torno de 12 horas, por isso disse que é muito cansativo. Saímos bem cedo, às 07:00 horas em direção ao Cotopaxi, fizemos uma parada para o almoço e fomos conhecer o Quilotoa.

Leia todo o post ou acompanhe pelos links:

O Vulcão Cotopaxi

Como eu já disse o Cotopaxi é um dos vulcões mais ativos do mundo, tendo suas últimas atividades, lançando cinzas no céu, em agosto de 2015. Ele está a cerca de 50 kms ao sul de Quito e tem 5897 metros de altura e um cume sempre nevado.

Este vulcão fica dentro de um parque, o Parque Nacional Cotopaxi.

Apesar da grande altura que confere a esse vulcão a posição de segundo maior do Equador, perdendo somente para o Chimborazo, não é preciso saber escalar para poder subir nele.

Na verdade para chegar ao seu cume sim. Somente escaladores com experiência podem fazer esse trajeto, mas os reles mortais como eu, podem ir até o refúgio que fica a 4800 metros de altitude.

Como chegar ao Cotopaxi

A melhor forma de chegar até lá é contratando um passeio, seja em uma agência, seja em transfer privativo, como nós fizemos ou alugando um carro.

Não recomendaria combinar com um motorista de táxi ou uber para chegar até lá porque ele vai te deixar na entrada do Parque, e isso só não resolve o seu problema. Você precisaria andar muito!

Existe a opção de usar o transporte público, porém eu também não recomendaria pelo mesmo motivo que falei ali em cima.

O ônibus, que é o que vai para a cidade de Latacunga – pergunte antes se passa em frente ao parque -, não entra no Parque e o ponto de descida dele fica a cerca de uma hora do vulcão.

Vou te falar, é um caminho e tanto. Isso quer dizer que se você optar por ir de ônibus terá que parar na entrada do parque e torcer por uma carona. Às vezes isso pode acontecer.

A entrada no Parque Nacional Cotopaxi

Estrangeiros só podem acessar o Cotopaxi com guia, ou seja, de qualquer forma você terá que gastar dinheiro com isso.

Para ir para a parte de visitação do parque é preciso primeiro passar na área de visitantes e deixar seu nome e número de passaporte. Foi ai que ao entrar no carro e iniciar nosso caminho os guardas do parque quase não deixaram a gente passar.

Como chegar ao Cotopaxi
Grupo indo em busca do Cotopaxi

Lembra que os estrangeiros só podem acessar o Cotopaxi acompanhados de guias… Pois é, os nossos amigos do Equador não eram guias, formados. Apesar de fazerem transfers para muitos lugares e já terem ido ao Cotopaxi com a família eles não poderiam nos levar por não serem guias. E por não serem guias não poderiam ser pagos por nós.

Conseguimos passar com alguma resistência, mas a esposa do Germán disse que ia verificar essa questão, se aperfeiçoar para não ter esse tipo de problema. Afinal, esse era um trabalho extra para os dois e eles aproveitavam para se divertir também.

Uma coisa legal é que os dois são professores e infelizmente no Equador, assim como no Brasil, essa profissão também recebe bem pouco. Por isso, o Germán começou a fazer transfers para melhorar a renda da família e a esposa sempre o acompanha. Uma família linda!

Subida ao Cotopaxi

Paramos primeiro na Laguna Limpiopungo e de lá você tem uma visão muito bonita do Cotopaxi. Dali entramos no carro para ir até o estacionamento para iniciarmos a subida para o vulcão.

Aqui vale um adendo: a estrada não é muito boa para carros baixos, embora lá em cima eu tenha visto até um Golzinho estacionado o nosso carro ficou no meio do caminho.

É que à medida que os veículos começam a subir vão sendo criados buracos na estrada, e meu amigo, quando estávamos descendo já no caminho para a Laguna Quilotoa vimos muita gente deixando os carros pelo caminho porque não havia condição de continuar.

Descemos do carro no meio do caminho e começamos a subir a pé mesmo até que passou uma caminhonete e nos deu carona. Muito bom isso!

Já na área de estacionamento você tem a visão da trilha para subir. Na verdade são duas trilhas: uma reta e mais rápida e outra cheia de meandros e mais lenta. Nós fomos, claro, pela trilha mais rápida. Parecia a decisão mais acertada.

Não faça isso! Vá pela trilha mais lenta, ela é mais confortável. Apesar do refúgio estar a apenas 600 metros de distância do estacionamento a trilha é muito difícil de fazer.

Andávamos um metro com muita dificuldade, parávamos a todo momento. Foi sofrido mas chegamos ao refúgio do Cotopaxi e lá tomamos o tão famoso chocolate quente do lugar. Nem precisava porque ele é ruim, sem graça, fraco e custa U$ 2,50. Porém vale a experiência completa.

Embora seja difícil chegar ao refúgio – não vou mentir – é um passeio inexplicável. A visão do cume do vulcão dali é muito bonita, o Cotopaxi é muito bonito com toda a sua neve em volta. Vale muito o esforço.

Lá no Cotopaxi o tempo é muito instável. Quando estávamos terminando de descer uma nuvem estava descendo e estava iniciando uma chuvinha.

O pessoal que estava iniciando a subida não ia pegar tempo bom e talvez nem tivesse uma boa visão do vulcão. Aliás, quando estávamos a caminho do Cotopaxi, na estrada ainda, o vulcão estava encoberto e as nuvens foram saindo aos poucos. Acho mesmo que é tudo uma questão de sorte.

Subida ao Cotopaxi
Na laguna Limpiopungo dava para ver o Cotopaxi em meio às nuvens.
Depois de uma carona para chegar lá em cima não tinha como não perceber o Golzinho.
A subida reta é a melhor? Será? Não! Que subida doída.
Cotopaxi
Mas valeu a pena. Cotopaxi vencido.

A Laguna Quilotoa

A Laguna Quilotoa é um dos lugares mais impressionantes do Equador. Eu achava que não era tudo isso mas resolvi ir, afinal, em todos os posts esse local estava incluso e encaixei este ponto turístico no roteiro.

Saímos do vulcão Cotopaxi depois de uma subida super cansativa e seguimos para o povoado de Zumbahua onde se localiza a Laguna Quilotoa.

Como chegar à Laguna Quilotoa

As pessoas que vão de ônibus para a Laguna Quilotoa pegam o ônibus de Quito para Latacunga e param na entrada do povoado. Da entrada até a laguna não é uma caminhada grande, é bem tranquilo de fazer.

Já as pessoas que querem visitar o Quilotoa com mais calma se hospedam na própria cidade de Latacunga e daí pegam o ônibus em direção ao povoado e também param na entrada dele.

Eu como estava em Quito fiz o bate e volta que a maior parte dos turistas fazem, mas encaixando com o Cotopaxi, que eu já contei ali em cima. Se fosse hoje eu deixaria um dia só para o Quilotoa.

No meu caso eu fiz em tour privativo, mas a maioria dos turistas vai até o Quilotoa contratando um passeio em uma agência. Ou seja, do jeito que der, vá, não deixe de fazer a visita.

O povoado do Quilotoa

O German e sua esposa foram tão gentis que quando saímos do Cotopaxi ligaram para um restaurante no povoado de Zumbahua e reservaram nosso almoço. Acho que essa foi a refeição equatoriana que mais gostei de comer.

Chegamos por lá e já fomos para o nosso restaurante. O almoço com entrada de sopa de quinoa e prato principal com salada, arroz, frango, banana e feijão. Tudo isso por U$ 4,00.

Quando saímos percebi que na verdade o nosso restaurante era também um hostel, o Hostel Chukirawa. Foi ai que me dei conta que o povoado, apesar de simples vem crescendo muito e oferece uma boa estrutura para o turista, tanto para aquele que está só de passagem, como eu, como aqueles que querem pernoitar ou ficar mais tempo.

Bom, depois de um bom almoço era hora de bater perna e ver a tão sonhada lagoa.

Como percorrer a Laguna Quilotoa

A Laguna Quilotoa está inserida na Reserva Ecológica Los Ilinizas e para entrar nela é preciso pagar U$ 2,50. Daí é estacionar e ver o que fazer.

Nós iniciamos nossa caminhada pela borda da laguna. Que lugar maravilhoso. Estava muito frio, apesar de ser janeiro.

Existem algumas alternativas para visitar a laguna: descer pelo caminho na montanha, o que leva de 40 minutos a 1 hora. Desci um pouco e queria descer até embaixo, onde você pode chegar na beira da laguna. Não tínhamos tempo para isso.

Geralmente quem faz o bate e volta para o Quilotoa somente desce até a beira d’água onde pode aproveitar a vista, alugar um caiaque, e depois sobe.

Aqui digo uma coisa: a subida é difícil. E olha que desci somente alguns metros, não cheguei nem a metade do caminho. As pessoas que vão até embaixo fazem a subida de volta em cerca de 1,5 horas. Mas isso pode variar para mais, dependendo do preparo da pessoa.

Uma coisa bacana é que existe a possibilidade de acampar na beira da laguna.

Mas o que eu queria fazer mesmo era a trilha que contorna toda ela. Essa trilha demora em torno de 6 horas para ser feita e precisa de preparo porque tem alguns sobes e desces. Porém, acho mesmo que vale bem a pena fazer ela e ficar hospedado no povoado, até porque essa reserva tem outras atividades que podem ser feitas.

Iniciando o passeio
Enfim, a Laguna Quilotoa.

O passeio nestes dois pontos ao redor de Quito foi muito cansativo mas vale muito para quem tem um roteiro apertado e não quer ficar sem conhecer estes dois locais maravilhosos.

Mais detalhes sobre esse mochilão pelo Equador você pode conferir nos nosso outros posts:


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder