Durante o planejamento do roteiro da viagem ao sul do Brasil o Castelinho Caracol era um dos lugares classificados como não deixar de ir e realmente a visita a esse lugar se provou como imperdível.

O castelinho é uma das primeiras residências do município de Canela, foi construído no inicio do século XX, entre 1913 e 1915, para servir de moradia da família Franzen. Atualmente é um museu e está aberto à visitação do público diariamente entre 09:00 e 13:00 horas e 14:20 e 17:40 horas.

O Castelinho Caracol, uma casa cheia de história.

Chegamos lá um pouco antes de abrir e ficamos esperando no jardim. Aliás, quase tudo em Canela fecha no horário do almoço. Antes de ir para o Castelinho tentamos comprar uma água num supermercado na cidade e ele estava fechado. Uma senhora estava chegando e nos avisou que já estava para abrir. Estranho para uma cidade turística, mas, fazer o que.

O ingresso para entrar no Castelinho custa R$ 10,00, até ai tudo bem, nós sabíamos deste detalhe, só não esperávamos que não passasse cartão! Eu não tinha um centavo no bolso! A sorte foi que o Léo tinha uns últimos R$ 20,00 salvadores para pagar a nossa. Teria sido uma tristeza muito grande não poder entrar no museu.

No local também funciona uma casa de chá onde é possível comer a torta de maçã mais famosa da região, feita ainda no fogão da época, tomar um chá de maçã ou escolher outras delícias.

A casa de chá e as outras delícias para comprar.

Tudo bem, eu tinha me contentado em não comer a torta que eu tanto queria, já estava bom visitar o museu!

Cada quarto está arrumado como na época em que a família morava ali e em cada porta há uma placa explicando um pouco da história dos móveis que podiam ser vistos. Não é possível entrar nos quartos, somente ter uma visão pela porta, mas já é super bacana. Também é possível ir na cozinha e ver a preparação da torta de maçã no fogão antigo. Para mim essa era a peça mais legal do Castelinho.

A sala de música e escritório da família.
A peça icônica do Castelinho Caracol: o fogão. E funciona até hoje!

Saímos do museu e fomos aos arredores da casa visitar a serraria onde o patriarca da família trabalhava, os galpões, o armazém dos serradores e a primeira casa da família antes do Castelinho ser concluído. Esta última é, atualmente, uma lojinha bem simpática.

Depois de visitar o castelinho com muitos quartos e muito espaço é estranho ver que os Franzen ficaram por dois anos em uma casinha minúscula até que a outra ficasse pronta.

Foi ali que a moça nos deu a informação que somente a entrada para o museu deveria ser paga em dinheiro. Lá dentro do Castelinho a casa de chá e a lojinha o pagamento poderia ser realizado em cartão. Ahh, foi a maior alegria do mundo, eu poderia comer a torta de maçã!

Voltamos correndo para lá e pedimos duas tortas com acompanhamento de sorvete. Cada prato custa R$ 25,00, o preço é salgado, mas vale muito a pena. Até hoje me lembro do gosto daquela torta maravilhosa! Uma das atendentes nos disse que a receita é a original dos Franzen, a mesma que eles trouxeram da Alemanha.

Tudo isso pode ser encontrado na casa de chá, mas a apfeltrudel – torta de maçã – é o carro chefe.
A famosa apfelstrudel de Canela. Como ir embora sem provar essa delícia!
Só alegria ao saber que poderíamos comer a torta de maçã que queríamos tanto.

Apesar de passar cartão nesta parte do Castelinho a moça da lojinha nos disse que nem sempre funciona, porque o sinal ali na região é bastante ruim. Por isso, o melhor mesmo é ir lá com dinheiro no bolso.

Nós demos bastante sorte e conseguimos fazer tudo o que queríamos e sair satisfeitos.

Veja também como foi nossa visita à Cambará do Sul, a terra dos Cânions.

E aí? Gostou das nossas dicas sobre mais esse lugar legal para visitar?
Deixe seu comentário aqui embaixo, que ficaremos felizes em lhe responder.


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder