Não tem como ir a Gramado e não visitar Canela, afinal, as duas cidades estão separadas por menos de 10 kms de distância. Por isso é muito fácil se hospedar em Canela e curtir Gramado, ou se hospedar em Gramado e curtir Canela, assim como nós fizemos.

Nossa viagem para Gramado se deu em janeiro de 2019 – você pode conferir esse passeio nosso outro post sobre Gramado – e entre os três dias que ficaríamos por lá reservamos um para visitar Canela.

Nosso roteiro contemplava o Parque Estadual do Caracol, o Parques da Serra e o Parque da Ferradura, além do Castelinho Caracol e o Mundo a Vapor. Se conseguíssemos fazer mais alguma coisa estaríamos no lucro.

O Parque Estadual do Caracol

Nossa primeira parada seria o Parque Estadual do Caracol. Colocamos no GPS e o percurso que ele nos deu foi através da estrada Parque dos Pinheiros. Esse trajeto tem em torno de 12 kms, 4 a menos do caminho usual que seria seguir a Avenida das Hortências e, na rotatória que dá acesso à Canela, seguir sentido ao parque na placa indicativa.

Mas apesar de ser um pouco mais curto o percurso que fizemos possui uma parte de estrada de chão. Portanto, a diferença entre os dois caminhos é bem pouca e provavelmente compense usar a Estrada dos Pinheiros só para conhecer a região. É uma estrada bem bonita.

Ao chegar no Parque Estadual do Caracol paramos na guarita, nos identificamos, pagamos as entradas – o ingresso vale R$ 20,00 a inteira e R$ 10,00 a meia – e estacionamos o carro.

Ali no estacionamento existem algumas lojinhas muito boas para fazer compras de produtos e lembranças da região a preços muito mais convidativos que aqueles do centro de Gramado. Quase dei um troço quando vi o mesmo ímã que comprei no dia anterior em Gramado por menos da metade do preço.

Algumas das lojinhas que compramos algumas coisas.

O Parque Estadual do Caracol possui diversas pequenas trilhas, todas elas de grau bem leve e muitas até pavimentadas (Apesar de no folder do parque constar três trilhas de grau médio e difícil). Por isso, apesar de termos ido com calças e botas, como quando vamos a outros parques para fazer trilhas e como sempre recomendamos, não achamos que seria tão necessário para esse passeio. No dia que estivemos no Caracol estava muito calor e uma bermuda e um calçado que não fosse fechado teria sido ótimo.

Trilha do Parque Estadual do Caracol.
Trilha pavimentada do Parque Estadual do Caracol.

Portanto, para quem detesta uma trilha pesada de quilômetros e quilômetros, mas gosta de estar em contato com a natureza o Parque do Caracol é uma boa pedida. Para quem viaja com crianças também não vai encontrar dificuldades.

Para nós que estamos acostumados com trilhas bem mais pesadas ficamos até um pouco decepcionados!

A principal atração do Parque Estadual do Caracol é a cascata do Caracol que possui 131 metros de queda. Ela é um dos pontos turísticos mais visitados do Brasil e tem esse nome porque o rio quando é visto de cima tem o formato de um caracol.

Até a alguns anos atrás existia uma escadaria com 730 degraus que dava acesso à base da cascata. Era a melhor forma de ver ela mais de perto. Mas desde 2015 a escadaria está interditada por motivos de segurança e o projeto de uma nova segue parado na secretaria de Turismo do estado. Então ficamos sem essa visão da cascata e seguimos até o mirante!

Acesso à escada que dava acesso à base da Cascata do Caracol fechado.

Ali bem próximo ao mirante existe o Observatório da cascata, onde você sobe 27 metros em um com elevador panorâmico e lá em cima tem uma boa visão. A entrada custa R$ 24,00, mas na época que estivemos o ingresso estava com preço promocional e pagamos R$ 12,00.

Devo confessar que eu não estava muito inclinada a ir no observatório. Só fui porque o atendente insistiu e o Léo também quis muito ir. Mas devo dizer que entre todas as visões que tivemos da cascata do Caracol a de lá de cima nós achamos que foi a mais legal.

cachoeira do caracol
Visão da Cascata do Caracol do Observatório.

Parques da Serra: Os bondinhos aéreos

Finalizada nossa visita seguimos em direção ao Parques da Serra. É ali bem perto. O parques da Serra é ao lado do Parque da Cascata do Caracol. Dá até para ver os bondinhos aéreos deste último.

Do Parque Estadual do Caracol dá para ver os Bondinhos Aéreos.

O preço deste parque é bem salgado: R$ 42,00. Crianças até 5 anos não pagam e de 6 a 12 anos e idosos pagam R$ 21,00.

O passeio começa na estação Central. É ali que você vai encontrar a maior parte da estrutura de lojas e banheiros. Dali o turista toma o primeiro bondinho e segue até a estação acima que é a estação Animal.

Estação Central. O começo do Passeio.

A partir desta estação é possível percorrer uma trilha de uns 200 metros, pavimentada, até um espaço com esculturas em madeira, é a exposição Esculturas Que Falam. Isso porque cada uma tem um bastão e é só movimentar cada um na escultura para ouvir o som do animal. Essa é a parte mais divertida do passeio nos bondinhos aéreos.

A trilha, bem curta e pavimentada.
As esculturas de madeira.

Descendo se chega à estação Cascata. É lá que você consegue ver a cascata Caracol em uma visão mais ou menos frontal. Para falar a verdade achamos a visão do Observatório mais bonita. E como todo mundo quer tirar uma foto boa é preciso ficar atento a uma oportunidade de chegar na grade.

Enfim, a cascata.

Mais informações sobre os bondinhos aéreos é só acessar: https://parquesdaserra.com.br/

O Parque da Ferradura

Após o passeio no Parques da Serra partimos para o Parque da Ferradura (alguns chamam de Parque Vale da Ferradura), distante 6 km do primeiro em estrada de chão. Ao seguirmos pela estrada nos deparamos com outro parque: O Parque dos Paredões.

A estrada principal dá acesso a dois caminhos, seguindo pela direita o trajeto chega no parque da Ferradura, e pela esquerda, chega-se ao parque dos Paredões. Estes são dois parques particulares.

Estrada de terra para chegar o Parque da Ferradura.

Continuamos nossos planos e seguimos pelo acesso da direita. O ingresso para entrar no Parque da Ferradura custa R$ 12,00 inteira e R$ 6,00 meia.

É um local bacana para ir com a família, com crianças e relaxar. Existem locais de sombra para deitar, um restaurante que vende refeições, banheiros, áreas para churrasco, playground. Também existem alguns mirantes de fácil acesso: o Mirante Vale da Ferradura, o Mirante do Vale do Arroio Caçador e o Mirante da Cascata do Arroio Caçador.

No parque existem quatro trilhas, embora na placa indicativa de entrada só estejam marcadas duas. Seguem elas:

Trilha do Pórtico – inicia-se a 750 metros e termina a 550 metros de altura. Você irá encontrar a trilha do Rio Caí, que é coberta por uma Floresta Estacional.

Trilha das Pinguelas – a trilha é voltada para a vista do Parque Vale da Ferradura, nessa trilha você encontra um pequeno riacho, onde poderá aproveitar a sombra da copa das árvores para descansar.

Trilha do Rio Caí – principal trilha do Parque Vale da Ferradura, que apresenta uma diferença atitudinal de 350 metros, iniciando a 750 metros de altura, e terminando a 400 metros de altura. Esse é o ponto em que o riacho Caçador deságua no Rio Caí.

Trilha das Cotias – essa é uma trilha mais leve, que você poderá apreciar a paisagem de cactos e bromélias que ficam nas áreas rochosas.

A ferradura que dá nome ao parque.

Nós fizemos as três mais leves, mas como na época da nossa viagem não tínhamos conseguido muitas informações sobre este parque não sabíamos da existência da trilha do rio Caí, que seria a mais legal de todas e levaria até o rio Caí e a cachoeira do Caçador, onde poderíamos nos banhar. Só nos demos conta dela quando vimos a placa apontando o caminho e a duração de 55 minutos.

Placa indicativa nas trilhas.

De qualquer forma, a sua entrada só é permitida até às 15:00 horas e já eram mais de 16:00 horas. Fica a dica para quem gosta de uma trilha um pouco mais pesada que aquelas encontradas no Parque do Caracol. É preciso só se atentar que em época de chuva ela deve ser evitada e o cuidado deve ser redobrado.

Entrada para a trilha do Rio Caí.

Após o passeio no Parque da Ferradura seguimos em direção à Canela. Era hora de, enfim, conhecer a cidade.

Conhecendo Canela

Em uma rápida volta de carro não achamos muita graça em Canela. Paramos e fomos somente na Catedral de Pedra, comemos algo por ali e seguimos em direção a Gramado descansar um pouco.

Canela RS
A Catedral de Pedra.

Apesar de termos conseguido fazer muita coisa em Canela, um bate e volta não foi suficiente para conhecer tudo que queríamos na cidade. Por isso, quando voltamos de Cambará do Sul – você pode ver como foi esse passeio aqui em nosso outro post – demos uma nova passada para ver o que havia ficado para trás.

Nossa primeira parada foi no Mundo a Vapor. Esse é mais um dos parques temáticos que podem ser conferidos no caminho entre Canela e Gramado. Nele existem máquinas a vapor em tamanho real e em miniatura. É bem divertido e ajuda a entender muito sobre a evolução deste tipo de máquina no mundo.

Mundo a Vapor, Canela, a cidade da cachoeira do Caracol
O Mundo a Vapor
Muita coisa legal para ver: a menor fábrica de papel do mundo.
Passeio de trem. É curto mas as crianças adoram.

O parque funciona diariamente com exceção de quarta-feira e o ingresso custa R$ 36,00 o valor inteiro e R$ 18,00 a meia. Se você quiser voltar no parque ainda tem a possibilidade de não pagar na próxima visita se ela for realizada em até 5 dias.

Retorno grátis garantido.

Após o Mundo a Vapor almoçamos em um lugar ali próximo para seguirmos para o Castelinho Caracol. Você pode conferir essa visita aqui em nosso outro post.

Os gastos do bate e volta a Canela e de toda a viagem ao sul do Brasil podem ser conferidos no nosso post sobre Gramado.

E aí? Gostou das nossas dicas sobre mais esse lugar legal para visitar?
Deixe seu comentário aqui embaixo, que ficaremos felizes em lhe responder.

Se você gosta de trilhas e aventuras, veja também nossas dicas de passeios por Cambará do Sul, a terra dos Cânions:


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder