Gosta de esportes de aventura? Então simbora ler esse post onde vamos falar sobre Baños, a cidade mais aventureira do Equador!

Baños era a última cidade que eu iria percorrer no Equador. Ela está localizada em uma região de cachoeiras e águas termais e por isso, é conhecida como a Meca dos esportes de aventura no país.

A cidade de Baños oferece aos turistas uma grande variedade de opções do que fazer, como as águas termais, cavalgadas, caminhadas, rafting, escalada, ciclismo, entre outras.

Eu teria somente duas diárias por lá, mas seria o suficiente para o que eu queria fazer: ir até a cachoeira Pailon del Diablo, e isso eu te conto esse passeio um pouco mais abaixo.

Você também pode acessar pelos links:

Como chegar em Baños

Para quem está em Quito e quer ir para Banõs pode alugar um carro e fazer uma viagem em torno de 3,5 horas ou pegar um ônibus no Terminal Quitumbe. A viagem dura cerca de 4 horas.

Eu que estava em Cuenca demorei um pouco mais para chegar a Baños. Havia três horários para ir para a cidade e peguei o de 08:45 horas da viação Amazonas. A passagem custou U$ 10,00.

Foram mais de 6 horas dentro do ônibus até Baños. Pelo menos nesta viagem a televisão estava ligada e vi pelo menos uns dois filmes, em espanhol, claro, mas estava valendo.

Quando o ônibus chegou em Baños deu para perceber que é um lugar pequeno e bastante turístico. Foi nessa cidade que consegui ouvir algumas pessoas passando falando português.

Onde ficar em Baños

Sai da rodoviária e fui procurar o meu hostel em Baños, o Plantas y Blanco. É um hostel bem famosinho na cidade e custou U$ 18,00 por duas diárias em quarto compartilhado e banheiro privativo, sem café da manhã.

Havia até a opção de incluir o café da manhã quando cheguei na recepção, porém achei o valor salgado e na rua teria opções melhores e mais baratas.

Outra coisa legal é que o hostel possui uma área de convivência que me pareceu bem grande. Eu não andei muito além do meu quarto, então não tenho muita ideia das outras partes do hostel. No entanto, ouvi muita gente se divertindo nesta área.

O hostel fica muito bem localizado, próximo à Basílica Católica de Nossa Senhora de Água Santa, ou seja, fica bem no centrinho de Baños, próximo de tudo.

É recomendado ao turista ir para Baños já com uma reserva de hospedagem. Como a cidade é pequena, mesmo tendo uma boa estrutura para receber as pessoas o número de locais para ficar algumas vezes pode ser insuficiente e daí o turista precisa procurar algum lugar nas cidades próximas, como Ambato.

O que fazer em Baños: A rota das Cascatas

Devo dizer que as únicas coisas que realmente fiz em Baños foi andar um pouco pela cidade e o passeio de bicicleta pela rota das cascatas até a cachoeira Pailón Del Diablo.

No dia que cheguei estava morrendo de dor de cabeça, algo realmente insuportável. A única coisa que fiz foi entrar na primeira lanchonete que vi e comer um hambúrguer. Depois disso só me tranquei no hostel e dormi.

O outro dia amanheceu chovendo e achei mesmo que minha estadia na cidade seria terrível, mas estiou e consegui sair.

Tomei café e fui até uma loja de aluguel de bicicletas para alugar uma para fazer o percurso até a cascata de Pailón Del Diablo, o que me custou U$ 5,00. Daí foi só seguir o caminho do mapa, as inúmeras placas e pronto.

Essa é só uma forma de fazer a rota das cascatas. Tem gente que vai de van, outros de chiva (uns caminhões antigos e adaptados ao transporte de pessoas, muito coloridos), de carro e alguns de ônibus urbano mesmo. Eu fui de bicicleta que acho que é a forma mais emocionante e mais legal.

Passeio Ruta de las Cascadas
Para quem quer fazer a Ruta de las Cascadas de uma forma econômica e muito típica no Equador é só utilizar as chivas. São muito coloridas e bonitas. Deve ser muito legal fazer a viagem nesses caminhões. Mas nada é melhor que ir de bicicleta!

O percurso tem cerca de 20 kms sem subidas e grande parte dele é na rodovia de asfalto. Apesar da concorrência com os carros não achei perigoso. Talvez por ser algo tão comum na cidade os motoristas já estejam acostumados.

Mas tem gente que não é muito acostumado com essa convivência entre os carros e as bikes e acha bem perigoso. Daí é só optar por uma das alternativas que falei ali em cima.

Todos os dias as agências saem com vans, ônibus, micro-ônibus e chivas para percorrer a rotas das cascatas. Não cheguei a ver o preço de quanto seria realizar o pessoa desta forma.

Ao longo do caminho fui parando para ver as cachoeiras que iam aparecendo, a Manto de la Novia é uma das mais lindas que se pode ver da estrada. Também é possível fazer esportes radicais nestas cachoeiras, há vários parques especializados nisto.

As chivas e as vans param nesses lugares para os turistas decidirem se querem ou não fazer alguma coisa. Há tirolesa, canopy, balanço e muito mais. Eu só queria chegar na Pailón Del Diablo, então segui em frente.

c
Olha esse visual do caminho. Assim é fácil pedalar!
Cachoeira Pailón Del Diablo Equador
E essa cachoeira no meio do caminho.
E essa outra cachoeira! Só dava vontade de pedalar mais para chegar até a Pailón.

A cachoeira Pailón Del Diablo

A “entrada” da Pailón Del Diablo fica em um restaurante. Na verdade você precisa passar pelo restaurante onde há um estacionamento grande e no cantinho há um local para deixar as bicicletas e depois continuar até a real entrada para a cachoeira. Se prepare que a partir dai é descida.

Ao longo deste caminho, antes de pagar a entrada da cachoeira, há algumas barraquinhas com pessoas vendendo água, saladas de frutas no copo (algo muito comum no Equador), artesanatos, entre outras coisas.

Lá embaixo você paga a entrada de U$ 2,00 para acessar a cachoeira e também tem acesso há banheiros e restaurantes.

Entrada para a parte baixa da cachoeira Pailón Del Diablo: Um restaurante com estacionamento para carros e bicicletas. É só seguir pelo estacionamento que você verá o caminho para a cachoeira. Existem barracas vendendo água e frutas pelo caminho.

Você pode ver a cachoeira de frente percorrendo uma ponte pênsil e chegar bem perto dela, quase embaixo se agachando entre as rochas e passando por caminhos estreitos ou só chegando no mirante mesmo.

Em qualquer uma destas alternativas tenha certeza que irá se molhar. O fluxo da água é tão grande que sobe uma fumaça d’água que te deixa completamente molhado.

O passeio até a Pailón Del Diablo é super legal e acho que vale a pena fazer. Os equatorianos acham esta a cachoeira mais bonita do país, eles realmente morrem de orgulho dela.

Após eu percorrer todos os caminhos através da Pailon resolvi voltar e ir embora, e é ai que toda aquela descida se transformou em uma subida daquelas.

Se você for de carro, de van, chiva ou ônibus, não se esqueça de colocar um calçado confortável. Quando eu estava subindo vi um casal descendo e a mulher estava com uma bota de salto alto e estava sofrendo.

Descendo o caminho e tendo essa visão da ponte pênsil. É, você atravessa essa ponte ai e vê a cachoeira bem de frente.
Vendo a cachoeira de um dos mirantes.
Chegando mais perto. Se quiser ir nesse mirante ai tenha certeza que vai ficar molhado. Eu fiquei encharcada.
Enfim, andando pela ponte pênsil que eu tinha visto de lá de cima. Dai você tem uma boa ideia da força da água.

Bom, quando cheguei na Pailon percebi que havia umas pessoas bem acima de mim, em uma ponte que dava para ver a cachoeira de cima e em uns mirantes mais altos. Procurei o caminho até que cheguei a conclusão que não era por ali onde eu estava.

Pois é, existem duas propriedades que abrem passeios para essa cachoeira. Em uma você consegue ver toda a queda d’água e na outra vê a força da água por baixo.

Devo confessar que estava exausta. O tempo estava chuvoso e eu só queria ir embora então não fiz a Pailon por cima.

Se você comprar o passeio em alguma agência as chivas, vans, ônibus te levarão direto para a propriedade com a visão de cima da cachoeira. Deve ser por isso que na parte da baixo estava bem tranquilo de pessoas. Ninguém se acotovelando pelos mirantes.

Mas se você está em um passeio em uma agência e quer muito ir até a parte de baixo é só abandonar o passeio – isso mesmo, pode abandonar sem problema. O pessoal já está acostumado a isso.

Primeiro avise o guia e depois pegue um ônibus urbano em direção a outra propriedade da cachoeira. Passa ônibus a todo tempo, não há com o que se preocupar.

Quando voltei o caminho todo da cachoeira eu tinha duas opções: ainda seguir de bike pela estrada, porque afinal a rota das cascatas vai até Machay onde é possível até tomar banho na cachoeira ou eu poderia ir embora. E por todos os motivos que falei ali em cima, eu resolvi ir embora.

Ah, mas não é necessário pedalar tudo de volta até Baños, até porque seria só subida.

Ali próximo do restaurante onde há a entrada para a Pailon há caminhões que cobram U$ 2,00 por pessoa para levar você e sua bicicleta de volta até a cidade.

Cada caminhão precisa de um mínimo de seis pessoas para sair. Formamos um grupo de 4, o que não era o suficiente, porém, como estávamos todos cansados e não havia muitos ciclistas naquele dia resolvemos cada um pagar U$ 3,00 e voltar.

E ai a melhor forma de voltar para Baños sem precisar pedalar. É só colocar a bicicleta no caminhão e pronto! Alívio, já que a volta é só subida.

Apesar de ter feito poucos passeios em Baños a cidade foi um lugar bem legal de estar. É pequena, aconchegante e tem muita coisa para fazer. Se você tiver mais tempo que eu visite as águas termais, o balanço do fim do mundo e se conseguir vá visitar o Parque Nacional Sangay, que possui três vulcões e paisagens lindíssimas.

Gostou desta dica de passeio para o Equador? Veja nossos outros posts sobre Equador e veja mais dicas:


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder