O Equador pode ser um país surpreendente para uma viagem. Além das ilhas Galápagos este país tem em sua capital Quito, e em outras de suas cidades muitos atrativos que valem a visita. Leia este e os outros posts sobre os 14 dias de turismo neste lugar pouco visitado por brasileiros:

Em novembro de 2018 comecei a pensar sobre minha próxima viagem. Após alguns anos sem viajar sozinha essa seria a primeira vez, já que o Léo não conseguiu tirar férias comigo. Entre algumas possibilidades de um dia para o outro decidi pelo Equador. Esse país estava na minha lista a algum tempo e eu tinha muita vontade de conhecê-lo, apesar de não ser um local muito popular entre os brasileiros, o que é uma pena.

Infelizmente as ilhas Galápagos não cabiam no meu bolso, então tive que me contentar com os outros atrativos do lugar e foi ótimo.

Meu roteiro contemplou as cidades de Quito, Puerto Lopez, Cuenca e Baños, exatamente nesta ordem, percorridas em 14 dias. Parece pouco mas penso que fiquei tempo suficiente em cada local e aproveitei o máximo que podia.

Neste post você eccontrará:

Antes de ir para o Equador, o que saber

Para ir para o Equador não é preciso tirar visto para até 90 dias de permanência no país. Outra coisa legal é que se você não tem passaporte não se preocupe, é possível entrar portando o documento de identidade.

Desde 2017 o governo equatoriano exige o Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela dos passageiros provenientes do Brasil. Esta comprovação deve ter antecedência de no mínimo dez dias. E desde 2018 é necessário apresentar na imigração um seguro de viagem que possua cobertura médica completa durante todo o período de visitação no país.

Devo dizer que comprei o seguro, mas apesar da obrigatoriedade ninguém me perguntou sobre ele. Aliás, não vi ninguém do voo sendo interpelado sobre isso.

A moeda equatoriana é o dólar. Existem moedas de dólar equatoriano que você só consegue usar lá mesmo, porém todo mundo leva o dólar americano e é esse que tem grande circulação no país.

Apesar da moeda ser o dólar é possível fazer uma viagem econômica até o Equador. Eu mesma comprei a passagem e o seguro viagem e levei $ 500,00 dólares para gastar e foi suficiente.

Como chegar ao Equador

Até um tempo atrás chegar ao Equador era uma odisséia, mas em 27 de dezembro de 2018 a Gol iniciou voos diretos de Guarulhos, em São Paulo, para Quito, com duração de cerca de 6 horas. Desta forma, chegar no Equador ficou muito mais fácil do que em diversos outros países da América do Sul. Embora, em 2020 eu tenha visto a notícia de suspensão desta rota.

Comprei minha passagem em 3 de novembro de 2018 por R$ 2587,89 em primeira classe. Àquela época os voos estavam sendo vendidos de forma promocional.

Minha partida seria às 19:25 horas do dia 03 de janeiro de 2019, de São Paulo, e chegada no mesmo dia às 22:20 horas, em Quito.

Demoramos um pouco mais para chegar porque estava chovendo muito em São Paulo. Sendo assim, o voo atrasou mais de meia hora para sair.

Para minha surpresa achava que o voo estaria vazio. Sinceramente, achava que ninguém ia para o Equador. Eu estava muito errada. O voo estava lotado e na fila do embarque comecei a conversar com duas brasileiras o que foi muito bom, porque passamos nossa estadia em Quito juntas. Por isso, fazer amizade com as pessoas no aeroporto pode ser bem legal, afinal, o Equador ainda é um mistério para a maior parte das pessoas.

Como sair do aeroporto de Quito

Os voos que chegam em Quito vão para o Aeroporto Internacional Mariscal Sucre e ele fica em Tababela, a cerca de 41 kms de distância de Quito e para chegar até a cidade é preciso pegar um ônibus urbano, que é a maneira mais econômica, um ônibus fretado, um táxi ou um transfer.

Uma coisa que você precisa saber é que, como o voo chega bem tarde os ônibus urbanos não funcionam esta hora. Isso quer dizer que a opção mais econômica não vale para quem chega ao Equador no voo da Gol.

Tudo bem, você pode pegar os ônibus vermelhos do Aeroservicios. Eles ficam ao lado de fora do aeroporto, bem próximos do ponto do ônibus urbano, na placa Transporte Direct Ciudad. Há ônibus saindo mais ou menos de meia em meia hora do aeroporto.

A minha ideia era pegar um desses para chegar ao centro. Eu não sei quanto custa mas pelo que pesquisei o traslado seria em torno de $ 16,00 dólares.

Cheguei a perguntar o preço do táxi e estava a $ 40,00 dólares. Até que com mais duas pessoas valia a pena.

Mas eis que conversando durante o voo com as duas brasileiras que conheci no embarque descobrimos que ficaríamos hospedadas na mesma rua em Quito. Elas tinham contratado um transfer por $ 30,00 dólares e me ofereceram de ir junto com elas. A nós se juntou um rapaz que também conhecemos durante o voo.

As meninas conversaram com o motorista do transfer, o Germán, e ele muito gentilmente cobrou $ 40,00 dólares para levar a todos. Isso quer dizer que cada um pagou $ 10,00 dólares no transporte. Sendo que eu e as meninas ficamos hospedadas no bairro La Mariscal e o nosso amigo no Centro Histórico.

Ao longo do caminho que leva muito tempo acabamos fechando mais um bate e volta com o Germán e foi ótimo. Ele sempre vai nas viagens com sua esposa e os dois são muito solícitos, simpáticos. O contato dele é: +59 3987585257, Gertransfer. Se você digitar no Facebook encontra fácil.

Mas se você chegar em Quito em horário comercial e quiser ir para o Centro ou o La Mariscal de ônibus basta pegar o ônibus verde do lado de fora do aeroporto. De lá você pára no Terminal Rio Coca e pega um ônibus para seu destino. Uma coisa importante é perguntar na sua hospedagem qual a estação que você deve descer.

como chegar ao Equador
Para quem quer usar o transporte público é aqui que o ônibus vindo da cidade para. Tem uma placa ali para ajudar. É bem do lado dos ônibus da Aeroservicios.
Já se você quer mais conforto e está cheio de malas tem o Aeroservicios. A cabine para a venda das passagens fica bem do lado, e tem placa sinalizando.

Como ir para o aeroporto de Quito

Bom, para ir para o aeroporto, se você está no centro ou no bairro La Mariscal é só pegar um ônibus ou na avenida Eloy Alfaro ou na avenida 6 de Deciembre. De qualquer jeito são as duas principais avenidas da cidade, não tem erro. Daí é só ir até o Terminal Rio Coca.

Neste terminal você precisa ir para outro terminal, ali do lado, bem pequeno. É o terminal onde ficam os ônibus verdes que vão para o aeroporto. É como se fosse um terminal anexo do Rio Coca, é só atravessar a rua. Eu fiquei um pouco perdida e tive que perguntar para achar. Daí dei um jeito de sair do Rio Coca e pronto, já estava esperando o ônibus para o aeroporto.

A passagem custa U$ 2,00.

Mas se você chegou de outra cidade do Equador e vai direto para o aeroporto o caminho é um pouco mais difícil. Você pode pegar um ônibus até o Quicentro Sur e de lá pegar outro para o aeroporto ou pode pegar um ônibus para o Terminal Colón e de lá pegar outro para o Termnal Rio Coca. Esta última alternativa já passa pela parte mais movimentada da cidade e pode ser uma boa alternativa para quem está sozinho.

Onde se hospedar em Quito: La Mariscal ou Centro Histórico?

Eu e as meninas nos hospedamos no bairro La Mariscal, bem próximo da Plaza Foch, que é o coração do bairro. Essa é a região perfeita para quem gosta de curtir a noite, com muitos bares e restaurantes.

Eu não sou muito a pessoa que curte a noite mas achei um lugar legal para se hospedar.

Fiquei no hostel Discovery Quito e paguei em torno de R$ 31,00 por diária em um quarto com 4 pessoas e banheiro privado e café da manhã incluso.

O café da manhã é bem simples: café com leite ou chá, um pão com ovo mexido e uma banana. Tudo bem gostoso.

O hostel ficava ao lado da estação de ônibus que me levaria aos lugares onde eu queria.

O nosso amigo, aquele lá do aeroporto se hospedou no Centro Histórico. Não vimos tantas diferenças com relação ao local da hospedagem. Sempre pegávamos um táxi ou Uber e encontrávamos com ele ou ele vinham ao nosso encontro. E o Centro Histórico é ao lado do La Mariscal.

Transporte em Quito

Em janeiro de 2019 o metrô da cidade ainda não estava pronto e a forma mais econômica e mais utilizada pelos quitenhos para se locomover eram os ônibus. Isso porque a passagem custava só U$ 0,25.

Esse é o transporte utilizado também pela maioria dos turistas, já que a malha viária atende muito bem toda a cidade e a região metropolitana.

Confesso que fiquei um pouco confusa com os ônibus, os Trolebus e os ônibus da Ecovia quando precisei usar. Afinal, na minha cidade só tem um ônibus. De qualquer jeito, deu tudo certo e logo você pega a manha.

Mas se você está em um grupo maior, pegar um táxi ou um Uber vale a pena. Nós estávamos em 4 e dividíamos as corridas. Se você pegar um táxi combine antes com o motorista o valor porque não há taxímetro nos carros.

O que fazer em Quito:

Mitad del Mundo

Chegamos tarde em nossas hospedagens e mesmo assim acordamos cedo para começar a desbravar a cidade. Nossa primeira atração foi o parque de Mitad Del Mundo, uma cidade que fica em torno de 13 kms de Quito. É neste local que existe a divisão do mundo em hemisférios Norte e Sul.

Ali há um monumento com a linha do Equador e você pode tirar a foto clássica com um pé em cada hemisfério ou caminhando sobre a linha. É um passeio super legal. Todo mundo vai até lá, apesar de que alguns dizem que a linha do Equador, na verdade, passa um pouco mais deslocada, onde hoje se localiza o Museu Intiñan. Eu não fui nesse último museu mas ele fica bem próximo do Mitad Del Mundo.

Para chegar até lá pegamos um Uber que custou U$ 14,00. A entrada para o Mitad Del Mundo custou U$ 5,00. Dai é só percorrer o parque, que geralmente está cheio.

Uma dica: todo mundo quer tirar foto na linha do Equador na frente do monumento ali próximo a entrada. Mas se você der a volta encontrará a mesma linha e ninguém ou bem menos pessoas. E lá atrás ainda há uma pequena arquibancada com o letreiro MITAD DEL MUNDO que você pode aproveitar para tirar fotos.

Depois disso entramos no museu e de lá de cima tivemos uma vista muito bonita da região e de todo o parque e diversas atrações.

Não dei muita sorte porque nesta época muitas atrações estavam em reforma, mas tudo bem, foi muito divertido.

A clássica foto em cima da linha do Equador. E um mundo de gente lá atrás.
Foi só ir do outro lado para tirar uma foto sem ninguém atrás e dar de cara com esse letreiro lindo.
Visão do parque de lá de cima do monumento da linha do Equador.
Vendo o peso na Mitad del Mundo, no sol, na lua, no pólo Norte.

TeleferiQo e Vulcão Rucu Pichincha

Saímos do Mitad Del Mundo pegamos um táxi que nos custou U$ 12,00 e seguimos até o TelefériQo.

A entrada para este lugar custa U$ 8,50 para quem não é equatoriano e tem mais de 18 anos, ou seja, era o nosso caso. Através dos bondinhos deste teleférico você consegue chegar a mais de 4000 metros de altitude do nível do mar e ter uma visão privilegiada da cidade de Quito, conseguindo vislumbrar alguns dos principais vulcões da região.

Outra coisa legal, você estará na base no vulcão Rucu Pichincha, ou só Pichinha mesmo, como costumam chamar os quitenhos. Existem muitas trilhas por ali e a trilha principal até o cume do vulcão.

Eu não fiz a trilha principal até porque nenhum dos meus amigos estavam com a disposição para isso mas fizemos algumas pequenas caminhadas. Sinceramente, é preciso estar preparado se você quiser chegar até o cume do Pichincha, isso porque vi algumas imagens e relatos da trilha e a achei difícil. Realmente não é para qualquer um.

E já em nossa pequena caminhada por uma ou outra trilha senti um pequeno efeito da altitude. E olha que eu não costumo me sentir assim. Já subi locais com altitudes bem maiores no Deserto de Atacama e foi super tranquilo. De qualquer forma, não faça a trilha sozinho que pode ser perigoso.

Mais informações sobre o TelefériQo você consegue no site https://teleferico.com.ec/

Lá de cima dá para ver um monte de vulcão do Equador.
A turma de brasileiros pegando o teleférico de Quito.
O início da trilha para o cume do vulcão Pichincha.

Mercado Artesanal La Mariscal

Comemos algo na lanchonete do teleférico mesmo e decidimos ir até o famoso mercado de artesanatos do bairro La Mariscal.

É um passeio imperdível. São muitas lojinhas em que é possível comprar muitas coisas legais do Equador ou só mesmo ter contato com a cultura do lugar. Ah, e tem Wi-Fi grátis, aproveite!

Eu comprei um chapéu do Panamá ali mesmo e chocolates equatorianos. Um presente bom para as pessoas do Brasil são os chocolates do Equador. Comprei os da marca Paquari, que são mais baratos e deliciosos.

Apesar de que Cuenca, que é o local conhecido por ter o chapéu do Panamá original, estava entre meus destinos no país eu comprei meu chapéu no mercado porque li que era mais barato, e foi mesmo.

Eu até voltei ao mercado quando retornei a Quito para pegar o avião de volta ao Brasil e comprei mais chocolates com o dinheiro que sobrou além de outros presentes.

Próximo ao mercado há alguns pequenos mercadinhos. Quando estávamos indo para a Plaza Floch entrei em um desses para comprar água e mais algumas coisas para comer e me deparei com cerejas enormes e lindas. Não deixe de comer as cerejas do Equador, que delícia. Aliás, as pessoas vendem muitas frutas pelas ruas das cidades e são muito saborosas.

O Mercado de artesanato La Mariscal. Cada porta é uma entrada para o mercado. Muitas lojas!

El Tiemplo de la Cerveza

Já cansados do dia voltamos à Plaza Floch e escolhemos o bar El Tiemplo de la Cerveza para tomar uma cerveja artesanal e comer alguma coisa, estávamos famintos.

O custo benefício deste lugar é muito bom. A cerveja é barata, a comida também. Pedimos duas porções mistas com carnes de todos os jeitos e tinham também ovos e batatas. Algo um pouco estranho mas nos alimentou muito bem.

Devo dizer que realmente comi muito pouco em Quito. A comida equatoriana não foi muito do meu gosto. E olha que eu adoro a comida andina. Comi muito bem quando estive no Peru, na Bolívia e na parte mais alta do Chile. Mas no Equador não gostei. No dia que chegamos de um bate e volta de Otavalo estivemos em um restaurante na rua La Ronda, era o La Casa Del Pozo. Como era um restaurante para atender turista a comida estava até gostosa, apesar de que optei por algo como arroz, salada e carne.

Rua La Ronda

Pode-se dizer que esta é a rua boêmia de Quito. Cheia de restaurantes e lojinhas é um lugar que fica lotado de turistas. As casas são coloniais, decoradas, arrumadas e ficam muito encantadoras. Não é uma rua grande e possui muitos artesãos. Por tudo isso é uma pedida certa. Além do que, é grátis.

Aproveite para apreciar o Canelazo, bebida típica do Equador feita com açúcar, canela e uma bebida alcoólica. Eu detestei, e todos que estavam comigo também. Tomamos só um pouco e deixamos quase a taça toda, mas faz parte.

Um passeio pela La Ronda. Essa rua é mesmo um charme.

O Mercado Central de Quito

Estivemos no Mercado Central, na Avenida Pichincha. Ficamos pouco tempo por lá. Há muitas barracas de frutas, flores e algumas de comidas típicas. Não achamos muita graça neste lugar e só fomos lá porque achamos que poderíamos ter um lugar legal para comer, mas não foi o que aconteceu. Se você não tiver muito tempo não é uma visita necessária em Quito.

Muitas lojas de comida e coisas típicas do Equador.

O Centro Histórico

Para ir ao Centro Histórico nós pegamos um Uber. Talvez a melhor ideia seria pegar um ônibus. Isso porque existe uma só via para chegar até lá, e ela fica lotada de carros. Neste caso a preferência é dos ônibus.

Sabendo disso, as vendedoras das sorveterias ficam na calçada com sorvetes à mão vendendo aos motoristas que ficam muito tempo no trânsito.

A vendedora de sorvete bem ali na frente já esperando o trânsito parar… Rsrsrs.
E para mesmo!

No Centro Histórico estivemos na Plaza Grande onde há o Palácio Presidencial e o monumento da Independência no centro da praça. Vimos a Igreja da Companhia de Jesus, não entramos porque achamos U$ 5,00 bem caro, a Igreja de São Francisco, a Igreja La Merced e a Catedral de Quito.

Queríamos ter ido no Museu do Banco Central do Equador, ou Museu Numismático do Banco Central do Equador, que mostra o processo evolutivo da moeda do Equador, além de outras peças relacionadas a cultura equatoriana.

Infelizmente o museu funciona de terça a domingo e como era uma segunda-feira não conseguimos entrar. Aliás, o fato de termos ido ao Centro Histórico neste dia da semana não ajudou muito. Alguns museus não abrem neste dia.

Nossa última parada no Centro Histórico foi a Basílica do Voto Nacional. O caminho até esta igreja é muito bonito. Você vai subindo a rua e de repente tem uma visão da virgem do Panecillo.

É possível subir até a torre da basílica e isso custa U$ 2,00. Vou te falar, vale muito a pena subir até lá, conhecer a igreja de outro ângulo e ver grande parte de Quito de lá de cima.

Nosso dia no Centro Histórico foi bem chuvoso, mas, apesar disso, foi ótimo. Conseguimos ver muitas coisas, andar pelas ruas. Ah, andar pelas ruas de Quito é muito bom. Faça isso! Ande pelas ruas do Centro Histórico, veja os detalhes das casas coloniais, as janelas, as portas, as sacadas, é tudo muito lindo.

A Plaza Grande! E dá-lhe chuva.
Igrejas…
…e mais igrejas!
Indo para a Basilica do Voto Nacional. A visão da Virgem do Panecillo é linda. E esses prédios antigos!
Vendo a Basílica por dentro, de uma forma diferente.
A visão de lá de cima.

Parque La Carolina

Quandovoltei a Quito para pegar o avião para o Brasil tive uma tarde livre na cidade e aproveitei para ir caminhando para o parque La Carolina. Não achei muita coisa nele, é só um parque onde as pessoas da cidade vão caminhar, praticar exercícios.

Nele também se encontra o Jardim Botânico de Quito, mas como era meu último dia eu tinha dólares contados. Estava chegando uma escola para conhecer o local, portanto, fazer o passeio junto com eles não ia ser muito legal.

Existem outros parques na cidade, escolha algum deles e vá visitar. Outra coisa legal de fazer é visitar o bairro La Floresta. Ele é conhecido como um bairro alternativo da cidade, com muitos grafites, cafeterias, lojinhas. Por isso, esse é um passeio bem diferente daqueles que as pessoas costumam fazer em Quito, porém vem se tornando mais comum a cada dia.

Fiz alguns bate e voltas a partir de Quito e fui até outras cidades do Equador. Você pode conferir esses passeios em nossos outros posts sobre o Equador:


0 comentário

Deixe um comentário, ficaremos felizes em responder